Saudosismo

Hoje estou numa altura mais saudosista do mês, as vezes também acontece… Gosto de recordar o passado, de me perder em memórias.
E as minhas memórias hoje levam-me até as terras de África, mais propriamente Angola, terra para onde fui ainda bastante gaiata (gosto desta palavra) e formou o que sou hoje, mais coisa menos coisa.
Foi uma terra que me preencheu em muitas coisas e em muitas situações, desde do conviver com o mundo selvagem ao puder assistir a certas coisas dignas do Discovery Channel… Desde da postura dos ovos da tartaruga, ao estar frente a frente com uma manada (será que é assim que se chama) de elefantes até levar uma lambidela de uma Zebra. Fui e posso dizer aqui sem falsas modéstias uma privilegiada na minha infância e na minha juventude.
O que mais me marca e que hoje me deixa saudades é os meus tempos de equitação com o meu grande amigo Trovão. Dos cavalos mais doces e mais ternurentos que alguma vez já encontrei e tive o privilegio de conviver e montar.
Desde da primeira troca de olhares foi amor a primeira vista… Ele tinha o olhar inteligente e terno que se poderia encontrar num ser humano e raramente se vê…

Foi daqueles olhares intensos de reconhecimento que se sente até no fundo da espinha.
Temos que ver que o porte de um animal como era o Trovão para uma miúda de mais ou menos 7 anos torna-se assustador, os cavalos são seres imponentes, e desde de muito nova para mim ficou bem claro que não é o cavaleiro que escolhe o cavalo mas sim o contrario.
Posso no entanto dizer que dos tempos que tive a sorte de ser sua companheira deixou-me cair uma única vez e na ânsia de me proteger.
Crescemos juntos, em união, em entrega……. desde da fase em que tinha de se por em joelhos para eu subir para a sua garupa a fase em que eu já saltava para ela com ou sem sela… a mais triste onde a idade começou a ser problemas e deixou de puder fazer os nossos galopes junto ao mar… ao por do sol.
Estivemos juntos durante muito tempo, fomos cúmplices, fomos melhores amigos e fomos apoio um do outro.
Não quero trazer as memórias dolorosas e amargas de como morreu este companheiro de grandes aventuras, não é isso que conta para mim neste momento…
Apenas posso dizer que nunca mais montei…….
Fica em paz amigo!

Advertisements

Posted on October 26, 2010, in Uncategorized. Bookmark the permalink. Leave a comment.

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: