Pratos da Balança

Hoje é daqueles dias em que a cabeça não consegue ficar fixa num só pensamento, tenho alguns dias assim onde não consigo suster uma ideia por muito tempo, onde afloram tipo pipocas a saltar do tacho… ideias, pensamentos, sentimentos…
Quando assim acontece e como diz esse meu Guru da sabedoria popular, o meu avó, tento manter as mãos ocupadas com trabalho, assim o corpo rende e a cabeça não pensa ou não se preocupa com o que pensa.
No meio da limpeza que estava a fazer aqui na loja, entre sacudir a roupa, tirar os pelos e limpar cabides veio-me a memória algumas das conversas que tenho com o meu avó, ele diz sempre que temos de nos dar bem com Deus e com o Diabo!
E ele como em tudo tem razão, e se virmos a verdade é  que tudo na vida tem de ter equilíbrio:
> Entre o nascer e o morrer,
> Entre o trabalho e o ordenado (embora raramente aconteça mas somos uns eternos insatisfeitos)
> Entre o exercício e o descanso
> Entre os amigos e os inimigos…
> Entre a Gula e a Satisfação, enfim!
Temos dentro de nós os nossos próprios anjos e demónios, que nos aconselham e orientam em tantas alturas das nossas vidas onde a solução esta lá mas não a vimos.
Sempre gostei de ver aqueles desenhos animados onde quando o personagem tem dúvidas aparece sempre um anjinho e um demonizito de cada lado, a dar conselhos, certo que nos filmes o anjo ganha maior parte das vezes mas na vida real nem sempre é assim, sejamos sinceros. Muitas das vezes o nosso lado angelical propõe resoluções muitas vezes impraticáveis e o nosso lado diabólico é bem mais simples. Mais perigoso, verdade mas tão mais simples…
O que me acontece muitas vezes, quando estou nessas indecisões tão comuns na vida, e optar pela meia escolha… Não ser nem branco nem preto, ser cinzea! Muitas vezes resulta… Na realidade quase todas as vezes resulta.
E claro que nesta meia linha corremos sempre o risco de ficar ligeiramente para um lado ou para o outro, mas aqui como em tudo manda a nossa sensibilidade… Até onde deverá aceitar a ajuda de Deus ou a mãozinha do Diabo?
Porque se virmos até ai o equilíbrio deve haver certo?
Faz parte do que somos, do que vivemos e do que tentamos saber e conhecer mas que nos escorre pelos dedos tal como areia ou água.
Existem certas coisas que não se catalogam, nem se etiquetam… absorvem-se.

Advertisements

Posted on October 27, 2010, in Uncategorized. Bookmark the permalink. 6 Comments.

  1. Por acaso não gosto nada do meio termo…

    Mas: respect!

    Like

  2. As vezes é preciso M. para evitar falsos moralismos ou chatices desnecessárias…….

    Like

  3. Ao falares em balança tenho que confessar que pensei logo em mim.
    Mas passando ao sério os meios termos são compromissos que por vezes temos que fazer na nossa vida para não nos aborrecermos mas sempre que posso evito os cinzentos.
    Beijos sem cinzento para ti

    Like

  4. Para mim os cinzeos são aquelas alturas na vida que tens de ter a capacidade de saber deixar as coisas “rolarem”.
    Beijos com azul para ti

    Like

  5. Não digo que não…Mas meias tintas…hum…normalmente não resolve, apenas adia…O que torna a coisa ainda pior!

    Like

  6. Concordo contigo… discordo com o adiar.
    Acho que é mais fecha o assunto sem tentativa de barulho

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: