Taras ou manias?

Sou uma mulher de manias, de taras… Algumas inofensivas, outras nem por isso… ambas controladas.
Sim sou uma descontrolada controlada, mesmo nos meus maiores pontos de descontrole consigo ser controlada… nos meus bravos momentos de choro ininterrupto ou riso histérico sou controlada. Confusos? Eu sou eu… digamos que a ciência ainda não me conseguiu estudar correctamente… eles bem tentam eu é que não quero!
Dentro das minhas manias/taras está a minha capacidade imaginativa, de fazer “filmes”, de idealizar momentos, histórias ou situações.
Quando miúda, tive sorte ao contrário de muitas crianças de ter um professor, um homem maravilhoso que me incentivava a puxar pela imaginação e não estagnar. Ficávamos horas a conversar no pátio ou na sala de aulas sobre pressupostos imaginativos, realidades alternativas ou situações virtuais.
Aliás as minhas aulas de Filosofia eram sempre uma coisa surreal pois por mais que eu quisesse limitar-me ao que era dito, nunca fez muito sentido para mim, ser pragmática nessa disciplina e não como o próprio nome diz, Filosofar.
Adoro debates, debater ideias, ter discussões acaloradas sobre elas. Gosto que me deiam luta na conversa, que me façam matar a cabeça a procura de respostas… de argumentos… de dados. Adoro a teoria das coisas e de transforma-la em algo prático, palpável. Por isso era péssima em fórmulas que não me ajudassem, ou não me dessem variantes de utilização no dia-a-dia.
Posto isto decidi, voltar atrás no tempo e fazer algo que fazia quando precisava refrear a minha imaginação e focar em algo, que é olhar para uma imagem e imaginar o que possa estar por trás dela e escolhi esta… ao acaso…numa busca na Net e que me despertou a atenção. Vou-me tornar na mulher da imagem, por isso o texto serei eu a descrever como se de mim se tratasse:
“Que horas são? Credo 2:00 AM? Parece que já dormi tudo… que sensação estranha quem me terá despertado? Levanto-me vou até a janela… esta vento… trás o calor sufocante de Agosto.
Céus gostava tanto que já fosse Inverno, sinto saudades do frio da estação, o calor trás recordações que não quero nem desejo.
Chega… vou levantar-me, vestir-me e sair!
O meu vestido preferido, e porque não? Visto, sinto-me como uma menina pequena a vestir a roupa as escondidas da mãe… não me calço saio, descalça de casa até ao pontão de madeira que tão perto do lago fica, fecho os olhos, sinto o cheiro da água, o ranger da madeira… o vento sopra e acaricia o meu cabelo despenteando-o como se de um amante carinhoso se trata-se… começo a correr… a fugir das sombras da noite… de mim… do que sou… do que fui.
Chego ao fim do caminho, com a respiração ofegante, o coração a bater nos ouvidos… o suor a escorrer pelas minhas costas. Sento-me com os pés dentro de água, da água escura do lago, o que estará lá de baixo interrogo-me… não me perco muito em perguntas… deixo o frio da água me gelar os pés e arrefecer o sangue… Olho para cima e penso. É tão bom estar viva…
Vejo a lua lá no alto, encho os pulmões e grito… Vem cá a abaixo… vem se te atreves… vem buscar-me leva-me a conhecer o que escondes o que não divides com ninguém. Egoísta não me respondes? Queres para ti as estrelas é?
Dou por mim a rir descontroladamente, rio até perder o fôlego e penso para comigo, estarei finalmente louca?
De repente ouço o piar tímido de um pássaro e penso, se não estou louca falta pouco que faz um pássaro a noite… tão quieto do meu lado?
Não ligo, para quê ligar certo? Certas coisas não se explicam sentem-se e ficamos assim os dois cúmplices na noite… dois fugitivos ao descanso que alguém decidiu que seria quando a lua tomasse o sol…
Não sei quanto tempo fiquei assim… terei adormecido? Porque me sinto quente? Os meus pés estavam na água… Abro os olhos e olho em volta… Tinha acordado… na minha cama…e já o dia tinha amanhecido.”
Advertisements

Posted on November 30, 2010, in Desculpem se estou enferrujada. Bookmark the permalink. 14 Comments.

  1. Eu sou um Rui que vai com a TILIDA…
    Gosto de estar bem acompanhado e se ela está cá é porque és boa companhia…
    Adoro palavras bem escritas!
    Parabéns pela tua escrita.

    Like

  2. Olá Rui, um amigo da Tilida é sempre bem vindo a este meu sofá blogistico.
    Obrigada pela visita… vai ficando aqui a companhia e sempre boa.
    Aliás vou dar um saltinho ao teu ver como param por lá as modas.
    Obrigada pelos parabens.

    Like

  3. Utena por momentos pensei que era um post pornográfico…Taras e Manias…Pensei “A Utena está cada vez pior,tenho que falar com ela…”,depois pensei no Marco Paulo “…na maior safadeza…”,depois vi que o assunto é mais profundo!Por isso não vou escrever só por escrever (como faço noutros blogues),quero ler,absorver para,depois,sair tanta erudição…
    Por isso eu volto,mais logo…
    Beijinhos interrompidos*

    Like

  4. Tilida, que é isso Marco Paulo (ar ofendido), ainda se fosse pornografico (era mais eu), estou a brincar.
    Fico a aguardar o teu comentário interrompido.
    Beijos sem safadeza mas com carinho

    Like

  5. Uau, bem giro este exercício! Saudável “tara” 😉
    Beso, Sofia

    Like

  6. Bonito post. gostei.
    Boa continuação.

    Like

  7. É de mim ou o vento sopra numa outra direção?

    Utena?

    Segue o vento. Gosto de o ouvir e de te ler.

    Like

  8. Sofia, adoro este exercicio… vou continuar a fazer. As taras são sempre saudaveis.
    Beijo

    Like

  9. Belladonna, obrigada pela visita… Volte é sempre bem vinda

    Like

  10. M. os ventos tem soprado noutras direcções algumas pessoas ainda não se apreceberam disso.
    Eu gosto de seguir o vento e de ser seguida por ele.
    Sabe bem…

    Like

  11. Leio as tuas imagens e vejo-te
    Vejo-te não como tu aparentas, como tu apareces a quem te vê.
    Vejo-te como realmente és quando não tens que por a máscara nem quando tens que te controlar.
    Estas palavras são mais que o passar uma imagem a palavras.
    És tu.
    E eu gosto, muito
    Beijos

    Like

  12. Nem sempre mostramos o que queremos ou somos o que desejavamos.
    Muitas vezes o controle não só é necessário como imprescindivel.
    Em tudo o que faço sou eu um pouco. Como o actor que empresta e recebe um pouco do caracter da personagem.
    Gosto-te
    Beijo

    Like

  13. Eita que o Mega está cá um poeta…Anda inspirado!
    Utena tu não gostas do Marco Paulo?É tão sensual aquela troca de microfone ora para a mão direita,ora para a mão esquerda…
    Utena então a ciência quer estudar-te?Deixa que as 'coisas' interessantes são para ser estudadas…
    Folgo ver a importância que atribuis aos professores!
    Outra coisa…Sabes quando a imaginação atinge limites máximos?Quando estamos apaixonados!
    Ai Utena estás?
    Olha bela ideia essa para um exercício,um dia vou fazer…
    Beijos a sorrir-te (é como diz o Mega)*

    Like

  14. O Mega anda inspirado (porque será?)
    Sim minha linda adoro a sensualidade de um instrumento falica a passar de mão a mão (brincadeira)…
    Ando apaixonada sim… principalmente com a vida 😛
    Beijos com diz o Mega a sorrir

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: