Déjà Vu

Déjà vu é uma reacção psicológica fazendo com que sejam transmitidas ideias de que já esteve naquele lugar antes, já se viu aquelas pessoas, ou outro elemento externo [carece de fontes?]. O termo é uma expressão da língua francesa que significa, literalmente, já visto.
Esta é a explicação por parte da Wikipedia para este fenómeno que todos já vivenciamos mas que carece de tantas explicações de como realmente acontece.
Para mim, que tantas vezes, me sinto num Universo alternativo do eu já vi, vivi ou senti isso, tenho ideia que a explicação carece de mais apoio informativo.
Infelizmente na época que vivemos tudo tem que ter uma explicação lógica baseada em factos comprovados e autenticados por um palerma cientista qualquer que não faz ideia se deve apertar os atacadores da direita para a esquerda ou vice-versa.
Não que eu tenha alguma coisa contra a ciência longe de mim, alias acredito na sua necessidade e na falta que ela faz na evolução da nossa sociedade, só acho graça aos supostos descobrimentos científicos, muitos deles já utilizados á décadas pelas sociedades mais antigas como o Egipto, senhores da medicina, escrita e outras ciências que tais. Enfim muitos disparates feitos, muito conhecimento perdido tendo agora que ser supostamente novamente descoberto tal qual o Ovo do Colombo.
Não tenho aqui a pretensão de dizer que sei o que é o Déjà Vu, sei no entanto que não é uma ideia suposta ou um engano do cérebro! Não me fazem acreditar que alguém com quem nunca estivemos, num sítio que nunca fomos a ter uma conversa que nunca foi dita, e que de repente nos cria a sensação de que tudo já aconteceu antes é um engano do cérebro, aliás não acredito que algo tão complexo e ainda tão vagamente estudado se possa enganar assim por uma coisa de nada. E se por um lado já me aconteceram as situações atrás descritas em separado também já me aconteceram juntas. E se o efeito em singular é estranho, no completo é no mínimo assustador e se do outro lado sentimos a mesma sensação é arrepiante.
Por isso e por tudo mais, faz-me muita impressão as pessoas estarem tão cínicas hoje em dia em relação a situações que não podem ser explicadas, agarraram-se a ciência como explicadora de tudo, quando muitas vezes as descobertas realizadas por ela são ocasionais e sem justificação aparente.
Nascer, viver, morrer… serão as coisas assim tão singelas? Se são porque nos matamos uns aos outros, porque nos ofendemos, magoamos e mal tratamos, se no fim todos vamos morrer sem deixar nada… sem ser para nada?
Se quando tudo termina o que vivenciamos, experimentamos, sentimos, tudo o que nos acontece de simples ou complexo pode ser explicado num tubo de ensaio ou então como um engano qualquer neste “mundo” tão complexo que é no fundo o corpo, o espírito e a alma…

Advertisements

Posted on December 2, 2010, in Uncategorized. Bookmark the permalink. 10 Comments.

  1. Já pensei também nisso. Arrepia quando acontece. Explicações? Vou pela repetição. Sentimos que já estivemos lá. Sabemos o que vamos dizer…palavra por palavra…

    Utena, morrer é simples. Complicado é perceber porque gastamos tanto tempo em merdas, zangas, maldizeres…e um dia, prestes a morrer, grotescamente e solenemente pedimos “mais 1 minuto para dizer o que não disse durante anos…”

    Enfim…

    Like

  2. É as pessoas não sabem dar valor ao que tem… choram o que perdem, e pedem o que não tenhem direito.
    Nada a dizer…

    Like

  3. Ah, babe, mas não vês tu o que se passa á nossa volta? Não será precisamente por tanta gente acreditar que nascem, vivem e morrem, que todos os alicerces estão a ruir?
    As pessoas perderam a esperança, a fé e tantas outras coisas. O que importa é tirar o melhor proveito de tudo, enquanto cá estiverem. A falta de valores e o vazio espiritual reina, amor.
    E se há alguns “despertos”, muitos mais, continuam adormecidos e persistem nesse estado.
    O apego desesperado á explicação cientifica nada mais é do que a tentativa de se escudarem na racionalidade e no que é palpável. Não me entendas mal, a ciência é preciosa! E nunca descarto as explicações que me são dadas. Apenas, penso e analiso, que é o que faz falta a muita gente 😛
    Sei que o meu discurso tresanda a new age, mas já me conheces. E de outros arraiais.
    Beijos revisitados 🙂

    Like

  4. Por isso mesmo, e pelo que és e pelos momentos que passamos sei que as coisas são como são, mas estão a mudar.
    Falta as pessoas levarem umas boas lambadas psicologicas para acordarem e não pensarem que tudo o que acontece é por culpa do vizinho.
    Tudo desmorona a nossa volta e não vejo atitudes, valores ou algo que me faça ter mais esperança que aquela que tenho e sinto insuficiente.
    Beijos

    Like

  5. Tambem já senti o dejá vu
    Mas adianto uma outra possível explicação, depois de ter já pensado no assunto.

    Porque é que o dejá vu não seja o manifestar de um desejo ou de um sonho inconsciente que alguma vez tivemos?

    Mais uma hipótese mas que gostava de saber a verdadeira razão gostava.

    Para ti um beijo dejá-vu

    Like

  6. Também já pensei nisso, mas depois levei um “grito” aos ouvidos que me levaram a crer que não á apenas isso.
    Pode ser mas não é apenas isso!
    😉
    Beijo real, imaginativo e afim

    Like

  7. Uma boa noite, Utena…))

    Uma opinião, puramente empirica: Acho que a sensação do Dejá-vu está relacionada com uma ou outra experiência ou percepção que tivemos enquanto miúdos, da qual já não temos memória, mas que fica guardada algures. Acaba despoletada quando mais tarde vivenciamos algo de semelhante.
    Ahh… vi o filme dias atrás. Foi um Dejá-vu…))

    Like

  8. Olá Salvador,
    Também vi o filme e confesso que é demasiado ficção cientifica para o meu gosto.
    Mas em certas ocasiões e situações não me pareçe que na infancia tenhamos presenciado algo parecido.
    Mas empiricamente até puderá ser!
    :))

    Like

  9. Era bom se a ciência conseguisse explicar tudo e tudo o que não explica não pode ser aceite como verdade…Para mim as coisas são bem mais complexas e eu adoro coisas complicadas e que não sejam inteligíveis!É bom saber que há coisas inexplicáveis e,por muito que o Homem se esforce,não o consegue fazer (bem feita,que banho de humildade)!Acredito que somos completamente ignorantes em relação à nossa existência e ao nosso ser,isso é arrepiante e encantador!
    Essa sensação de que falas,o Dejá-vu tem muito que se lhe diga e por muito que possamos especular,nunca vamos lá chegar…
    Beijos misteriosos*

    Like

  10. Nem mais minha linda… sentir sem explicar… ui coisa dificil para alguns.
    beijos

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: