Preciso de tempo…

Adoro a minha língua (não a minha literal mas a língua portuguesa), e o que ela nos permite fazer.
Como um pequeno senão numa frase, um pronome, uma acentuação ou um sinal ortográfico altera tudo, muda todo o sentido da frase e do que queremos dizer.
Por um lado sempre gostei dessa liberdade que ela nos trás de sermos ambíguos de dizer as coisas de uma forma especifica para serem entendidas da forma que dá jeito aos outros, apenas para serem rectificados quando nos interessa. Por outro enerva-me as meias palavras ou o duplo sentido numa frase!
Baralhados? Eu também, mas adiante, as coisas tem sempre dois pesos e duas medidas por isso, é normal não ser 100% certo no que dizemos e no que fazemos.
Este texto surge a propósito de uma frase que já tantos relacionamentos desfez, tantas lágrimas causou e tantas desilusões alimentou. A famosa frase: “Preciso de um tempo!”
Eu por mim falo, a primeira vez que me dizem isso, é a ultima, pois eu sou uma moça muito dada e quando mo pedem dou logo todo o que quiserem e pelo tempo que eu quero, que será… vejamos…. Muito!
Mas a frase por si só tem outras conotações consoante a entoação e os acrescentos que lhe fizermos.
Se eu disser “Preciso de um tempo para mim” significa que preciso de relaxar a cabeça, sem me preocupar com nada, sem relógio ou compromissos, ou timings… Não que preciso de um tempo para pensar… mas que preciso dele para não pensar em nada, Literalmente para não fazer a ponta de um corno.
Não tem de ser uma semana, nem um dia muitas vezes tem de ser… as vezes, basta uns minutos, só meus, no limbo onde nada se passa, onde não vejo nada e mais ainda não sinto nada.
Ultimamente tem sido difícil ter esses momentos que para mim são retemperantes, que me recuperam mais do que uma noite bem dormida ou um dia bem passado e isso tem feito as suas mossas e os seus efeitos secundários.
Tenho andado constantemente com a sensação de sindroma pré-mestrual onde tudo me enerva e me altera o temperamento. Esqueço-me das coisas, das datas, dos compromissos… esqueço-me e isso é mais grave ainda de mim! Do meu bem-estar!
Porque como diz o leite Matinal “se eu não gostar de mim quem gostará” e eu já passei essa fase… a fase de olhar ao espelho e ter vergonha do reflexo… de não querer ser o que via do outro lado! De não gostar do que eu era… do que eu podia ser! De me boicotar!
Por isso chego a conclusão que preciso de um tempo para mim… só para mim… de uma forma o mais egoísta que possa pensar! Não é um tempo especial, para fazer isto ou aquilo, que todas as mulheres gostam e que eu não tenho a mínima paciência. Não é de um tempo sem nada nem minguem, sem ouvir conversas, sem ver pessoas, sem ter contacto.
Só eu e o meu eu interior… uma vela… um incenso… o meu cristal rocha! O som da água a correr, da minha respiração a ficar pausada… e deixar-me ir para o meu refúgio, para o meu campo energético interior, que me restabelece e me dá força!
Tenho saudades do que envolve essa passagem, do sentir a luz suave da vela por entre as pestanas, de sentir o cheiro a âmbar do incenso, do concentrar a cabeça no som da água, do relaxar o corpo consoante a respiração, o inspirar… o expirar… a sensação do chão por baixo do meu corpo… e o perder a noção de onde estou! Do abrir os olhos para o mundo criado por mim com as suas cores brilhantes, com a água da cascata que lá esta colocada para me dar energia… paz… do sair dela nova! Única! Mais eu… do dizer adeus a quem a guarda…do despertar para o meio real, para as sensações do presente… a dormência das pernas, o peso do corpo, a respiração… a musica… o incenso… a vela!
Por isso sim! Quero esse tempo… mais que isso desejo-o com uma paixão quase selvagem!
E como tudo o que quero consigo… vou tê-lo hoje… com toda a intensidade que o rodeia… com toda a vontade que me preenche.

Advertisements

Posted on December 16, 2010, in Uncategorized. Bookmark the permalink. 10 Comments.

  1. Por mim: todo o tempo do mundo. Para ti!

    Mas vê lá se te apressas: o mundo precisa de ti…

    Like

  2. Boa noite, Utena.))

    Goze-o bem. Nos tempos que correm, nada como termos tempo para ter tempo. ))

    PS- E foi uma decisão atempada.

    Like

  3. é tão bom quando nos damos esse tempo!!!
    bjo!

    Like

  4. M. Fui ao meu mundo secreto. Estou de volta não 100% recarregada mas bem mais fresca!

    Like

  5. Boa tarde Salvador, bons ventos o “vejam” é sempre bom ter tempo. As vezes temos de fazer opcções
    beijinho

    Like

  6. So Sad, não só é bom como necessário.
    Bem vinda.
    Bjo

    Like

  7. Passando para desejar uma fim de semana maravilhoso e cheio de harmonia com a realização dos teus sabores e desejo, e que os que te amam esteja muito perto, beijos !!!

    Like

  8. Olá,
    Bem vindo, obrigada pela passagem e pelas palavras.
    Igualmente.
    Volta sempre
    Beijo!

    Like

  9. Utena eu agora leio-te de forma diferente…Sério é mesmo estranho…Mas pronto…Olha…Todo o tempo do mundo,como diz a outra…Lol!

    Like

  10. Tilida,

    les-me diferente porque sou eu na mesma!
    Não sejas assim…

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: