Momentos

Existem momentos na nossa vida que não explicamos, apenas vivemos!
Decisões que tomamos conscientes que serão difíceis mas que assumimos com corpo e alma… com a mente absorta em pensamentos decididos e necessários.
Sabemos que serão complicados de manter, de seguir… mas mesmo assim confirmamos que estamos dispostos a enfrentar todos os obstáculos para alcançar a meta que traçamos e delineamos.
Isso não quer dizer que não exista alturas em que a vontade de desistir nos assola e nos tente com uma voz sedutora levar-nos a desviar do nosso caminho tão bravamente traçado na nossa mente e no nosso mais profundo desejo.
Estes dois dias tenho andado assim, tentada por uma tristeza doce e desconhecida, que me deixa melancólica e com dúvidas sobre as decisões que tomei e que tracei.
Não sou de desistir nem mesmo de mudar de ideias, com relação às decisões que tomo… meço bem antes de as assumir e não assumo num ímpeto de momento mas no fim de uma prolongada reflexão, não posso no entanto sentir que as vezes, ou melhor, quase sempre, as coisas nunca são fáceis para mim e as dificuldades aparecem umas atrás das outras.
Sei que os testes existem por um motivo específico e que se vem são porque temos capacidade de os ultrapassar, mas não consigo deixar muitas das vezes de me sentir sozinha no meio da multidão.
Em parte sei que se deve as mudanças que comecei a aplicar na minha vida, as pessoas estão habituadas a ter algo de mim e quando eu me recuso a dar, numa nova forma de vida em que a minha integridade vem primeiro, se sentem desfraldadas e enganadas, a mudança não é encarada de ânimo leve por muita gente, e se por um lado me cansa pessoas assim por outro, sabendo que não somos nem podemos ser todos iguais, compreendo.
Por isso deixo que a angústia que me assola nestes dias me inunde como se de uma maré se tratasse, me deixe atónita, lenta de pensamentos e um pouco ausente do presente com o propósito de tentar entender até que ponto a mudança que iniciei neste ano esta ou não a seguir o seu curso e a interiorizar-se em mim.
A verdade é que a mudança nunca vem sem ser acompanhada por dificuldades, sofrimentos e alegrias, perguntas a que nem sempre sabemos responder no momento mas que trazem respostas para o futuro.
Por isso deixamos que ela se aloje lentamente na minha vida e no mais íntimo do meu ser… permitindo que me proteja de quem não tem valor e abra o meu coração e a minha alma a quem merece receber o que tenho para dar.
 E por fim hoje vou dar-me ao luxo de ser mundana de sair com amigos, comer uma bela comida italiana junto ao mar, falar do que importa e do que é banal e rir… esquecer-me por breves instantes que o mundo lá fora esta a mudar… que as mascaras vão cair e que infelizmente as desilusões serão muitas… esperadas é verdade mas mesmo assim dolorosas.
No fundo ter consciência de que na nossa vida tal como em tudo o menos é mais e que o bom de tudo é saber aproveita-lo!

Advertisements

Posted on January 8, 2011, in Uncategorized. Bookmark the permalink. 6 Comments.

  1. Crescer doi mesmo, não é?

    Momentos. Das minhas palavras preferidas. Não pela sonoridade. Pelo empenho que nela está imbuído.

    Like

  2. Crescer doi, porque é mudança… toda a mudança doi, magoa… mas eu abraço com vontade essa dor porque significa evoluir! 🙂
    M. momentos é das palavras com mais força que conheço… porque um momento é um pedaço de vida
    🙂

    Like

  3. Palavras de uma canção para te alegrares, que eu gosto muito …

    Aimer à perdre la raison
    by Jean Ferrat

    Aimer à perdre la raison
    Aimer à n'en savoir que dire
    A n'avoir que toi d'horizon
    Et ne connaître de saisons
    Que par la douleur du partir
    Aimer à perdre la raison

    Ah c'est toujours toi que l'on blesse
    C'est toujours ton miroir brisé
    Mon pauvre bonheur, ma faiblesse
    Toi qu'on insulte et qu'on délaisse
    Dans toute chair martyrisée

    Aimer à perdre la raison
    Aimer à n'en savoir que dire
    A n'avoir que toi d'horizon
    Et ne connaître de saisons
    Que par la douleur du partir
    Aimer à perdre la raison

    La faim, la fatigue et le froid
    Toutes les misères du monde
    C'est par mon amour que j'y crois
    En elle je porte ma croix
    Et de leurs nuits ma nuit se fonde

    Aimer à perdre la raison
    Aimer à n'en savoir que dire
    A n'avoir que toi d'horizon
    Et ne connaître de saisons
    Que par la douleur du partir
    Aimer à perdre la raison

    Parece que o copo continua meio vazio!!!!

    ” Houston we have problems “

    Logos e Praxis

    Like

  4. Momentos, é o conjunto dos momentos que são a historia da nossa vida.
    Uns melhores outros menos bons, mas é o conjunto que faz o que nós somos.
    Vais ver que a seguir veem outros momentos.
    Beijo

    Like

  5. Anonimo, antes de mais bem vindo de volta ao meu espaço.
    Deixa lá o Houston que isto esta na fase do dá forte mas passa depressa 🙂
    Continuo curiosa em saber quem é esta Logos ou Praxis que houve musicas em francês e me acompanha sem nada revelar.
    De qualquer forma gostei dos poemas, encaixam bem em algumas situações da minha vida.
    Volta!

    Like

  6. A vida Mega é mesmo isso momentos que num todo fazem uma história…
    beijos

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: