Apeteces-me

Não é um taras e manias III é algo que me apetece fazer e que por norma não faço… digamos que o outro lado mais sensual da Utena… um texto de estímulos… sobre vontades.
Não levem a mal se algo não agrada… sou nova nesta forma de expressão:
“Apetece-me ver-te a minha frente parado numa noite de luar, juntar a imagem quebrada que tenho de ti… juntar em peças como se um quebra-cabeças se tratasse… porque no fundo é o que és…
Vieste de mansinho deixando as tuas marcas na minha vida, as tuas palavras gravadas a fogo na minha mente, até eu sentir na pele o desejo de as sentir… de te ter…
Quero sentir a alteração da tua respiração no meu ouvido… o suave roçar dos teus lábios nos meus… ver o brilho dos teus olhos mostrar o que me queres fazer antes de o pronunciares…
Mais que isso quero sentir a tua pele na minha, o escaldar do desejo de te tocar como se de febre se tratasse… o aperto forte do teu abraço… até que o mundo por instantes breves que seja deixe de existir e fiquemos só nós os dois… náufragos de uma ilha por nós idealizada…
Apeteces-me… de uma forma intensa… animal… crua de dogmas ou paradigmas… de falsas verdades ou de piedosas mentiras… não quero saber o que é certo o que deve ser feito… estou farta de dar ouvidos a razão.
Quero sentir-te… tocar-te… deixar-te louco… fazer-te chegar perto do abismo… apenas para te fazer voltar a ele mais tarde… outra vez… vezes sem conta…
Vou calar os porquês da minha mente teimosa que insiste em analisar cada situação… por umas horas sou capaz de o fazer… de ignorar o que é supostamente certo e dar prioridade as minhas vontades…
Egoísmos da minha parte, podem pensar… não me julguem insana apenas porque uma vez na vida mandei calar a razão e dei liberdade para soltar vontade…
E ela existe…intensa…forte…selvagem…. Vontade de te sentir… de te provar… de te fazer meu!
De sentir na minha pele o calor da tua… o suave toque das tuas mãos, o húmido contacto da tua língua.
Apeteces-me tanto que a minha própria pele mo diz cada vez que te leio… que te sinto… que te ouço”
Advertisements

Posted on January 21, 2011, in Loucuras. Bookmark the permalink. 12 Comments.

  1. Ai a vertigem e o fogo da paixão…é do melhor!
    Não é para explicar. É para sentir. Plenamente. Intensamente.No momento. E vivê-lo…
    Gostei do texto, sis.

    Like

  2. Olá minha irmã de alma… encarnei… e deixei a brotar as palavras…
    Sim essa é a essência da paixão… intensidade.
    Obrigada Sis…
    Beijos

    Like

  3. Nem sempre é facil passar para palavras o sentimento do desejo.
    Desejo que pode aparecer porque sim ou como resultado de uma paixão.
    Por vezes provocamos a situação outras vezes somos enleados na situação.
    E pelas tuas palavras conseguistes transmitir o que sentes, a vontade que tens, e de uma certa forma sem o explicitares consegues descrever o teu comportamento para quem o souber interpretar.
    E concluo, feliz daquele que é o objecto destas palavras, pois deve ser o sonho de qualquer pessoa sentir um sentimento destes por parte do/a parceiro/a.
    Beijos com inveja

    Like

  4. “His lips brushed against my throat, just below my ear. He chuckled once and his
    cool breath tickled my overheated skin.”

    “His arms wrapped around me, holding me against him, summer and winter. It
    felt like every nerve ending in my body was a live wire.”

    “But I couldn't. Instead I clutched my arms around his neck again and locked my
    mouth with his feverishly. It wasn't desire at all – it was need, acute to the point
    of pain.”

    Like

  5. Mega,
    Nao foi facil confesso até porque não é uma forma de escrita que esteja familiarizada, mas quando debitei para o papel tentei transpor o que me faria sentir se o lesse e foi o texto que me saiu.
    Beijos sorridentes

    Like

  6. Isabell,
    paixão é mesmo isso… e um sentimento que chega a doer…
    Mas é optimo de se sentir
    Beijos

    Like

  7. Bemmm… Miss Utena ainda estou a engolir em seco. Nunca a tinha visto assim, mas que raio lhe andaram a fazer? Não sei mas que esta perspectiva é deliciosa é :)))
    Intensamente sufocante e leva qualquer um ao delírio.
    Gostei, por mim pode (e deve) continuar hehehe

    Like

  8. Olá Sr. Anónimo ;), vejo que gostou do texto e aprovou… o que me andaram a fazer foi a trazer-me inspiração… vontade de tentar coisas novas…
    obrigada pelo comentário.
    🙂

    Like

  9. 2011 será um ano de boa colheita:)

    Bom ver-te assim. A escrever assim:)

    Que seja!

    Like

  10. M. 2011 é ano de mudança…
    Bom saber que gostas das minhas incursões por campos desconhecidos… é óptimo saber que estas por aqui.
    🙂

    Like

  11. Apeteces-me…!!!

    Like

  12. Anónimo… o que apetece deve ser saciado?

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: