Felis catus


Gosto de animais, até ai não será novidade para quem me lê. Dou-me bem com todos e actuo com eles como as pessoas com os bebés, peço desde de já desculpa se ferir a susceptibilidade de alguém com a comparação, para mim todos são bonitos… todos têm a sua função e todos são únicos e especiais dentro dos seus habitat.
De todos, sou fascina por uma espécie. Os felinos.
Talvez pela sua sensualidade, pela sua independência… pela sua capacidade selvagem de sobrevivência. Ou talvez por tudo não sei. O que sei é que adoro estes animais que mesmo depois de anos de convivência com o homem mesmo os domésticos conseguem manter a mística que os torna donos e senhores da sua personalidade.
Sou uma pessoa igual a todas as outras, tenho crenças que só a mim me dizem respeito e que as assumo com toda a calma e tranquilidade (agora parecia o Paulo Bento a falar) entre essas crenças e rituais a presença de um gato ajuda pela sua capacidade de ser guardião entre as portas dos dois mundos.
A verdade é que crença á parte desde de muito tempo o gato é venerado pela sua capacidade por diferentes culturas, povos e religiões.
De todas as Deusas a mais conhecida talvez seja a Bastet, Deusa Egípcia da fertilidade e protectora das mulheres grávidas. Dizia-se também que tinha poder sobre o eclipse solares… faz sentido já que a influência da lua muito tem a ver com a hora de parto antecipando-a ou atrasando-a.
Após a chegada dos gregos ao Egipto esta Deusa foi associada a Artemis… deixando de ser Deusa do Sol para passar a ser senhora da Lua.
Outra Deusa associada aos gatos é Freya, deusa mãe da dinastia de Vanir. Deusa do sexo da sensualidade, fertilidade e amor. Era também a Deusa da magia, líder das Valquírias (as condutoras das almas dos mortos em combate)
Em todos os casos de diferentes Deusas a semelhança está sempre na sua sensualidade e na sua feminilidade.
Claro que aquando da expansão e conquista da igreja católica e porque os gatos estavam associados a mulheres foram considerados diabólicos e demoníacos. Foram perseguidos e quase exterminados pela loucura demente dos homens em busca do seu poder sob as mulheres.
Pela altura da inquisição qualquer mulher vista na companhia de um gato era acusada na hora de bruxaria e dona e animal era queimado afogado ou enforcado.
Felizmente com a epidemia de ratos que se formou aquando desta estúpida barbárie os gatos deixaram de ser maltratados e voltaram a gozar dos seus devidos direitos.
Lendas ou historias a parte adoro estes animais e reconheço neles a capacidade de cada mulher ser sensual e única.
Porque verdade seja dita tal como eles, temos a capacidade de ronronar ou de deitar as unhas para fora com uma capacidade surpreendente.
Somos independentes embora tenhamos nas costas anos e anos de tentativa de subjugação e de nos fazerem achar que não vivemos sem um homem em casa que olhe por nós e nos proteja.
Pufff.
Sendo verdade para alguns casos posso concordar. Mas  também por isso se diz que algumas mulheres são filhas de Eva e outras de Lilith!
Mas isso, é outra história sobre a qual um dia talvez escreva…
Bom fim-de-semana e muitos rons-rons!
Advertisements

Posted on April 16, 2011, in Uncategorized. Bookmark the permalink. 16 Comments.

  1. E assim vamos aprendendo…
    Gosto mais de cães. Mas preferia ser gato:)

    Venha lá a história de Eva e Lilith:)

    Like

  2. M tu não me digas que gostas de ronronar?
    =)
    Quanto a historia tenho de me debruçar nela.

    Like

  3. Eu, um rafeiro assumido, tenho como animal de estimação um gato. Mas não é um simples “animal”, para mim é um membro da família, com voto em tudo excepto na comida, ou passava o resto da minha vida a comer peixe.

    Like

  4. Sou mais cão! Confesso que o contacto que tenho com gatos é mínimo o que me leva a não os conhecer tão bem… mas que são lindos, isso são!

    Like

  5. Rafeiro concordo contigo em tudo.
    Embora divida o meu lar com 3 canideos maravilhosos que alimentam a alegria na minha vida vejo o gato como um animal unico e especial.
    Mas o meu respeito e carinho estende-se a todos sem excepção.

    Like

  6. Especialmente,
    São únicos diferentes e com inumeras personalidades.
    Mas isso somos todos.
    beijinho

    Like

  7. O uso de moluscos gastrópodes (caracóis) para estudos neurobiológicos é vantajoso porque o seu sistema nervoso e comportamentos são intermediários em complexidade quando comparados a outros animais. Os padrões de atividade derivados do sistema nervoso central são modulados por informações periféricas provenientes de vários quimio e mecanorreceptores, os quais desempenham funções importantes na manutenção da homeostase interna. Assim, juntos, elementos centrais e periféricos permitem ao animal modular seu comportamento respiratório de acordo com suas demandas metabólicas. O objetivo deste trabalho originou-se da necessidade da compreensão da atividade respiratória do caracol pulmonado terrestre Megalobulimus abbreviatus, da identificação dos neurônios do sistema nervoso central envolvidos no seu controle, bem como da organização da inervação de uma estrutura-chave envolvida no comportamento respiratório deste animal, o pneumóstoma. Realizou-se a identificação dos neurônios do SNC que controlam o PNEUMÓSTOMA através de marcação retrógrada pelo nervo parietal posterior direito com cloreto de cobalto e biocitina; a descrição da morfologia e da histologia da região do PNEUMÓSTOMA, assim como a análise da presença de monoaminas, atividade acetilcolinesterásica e de imunorreatividade a FMRF-amida nesta região. Também foi realizada a investigação sobre uma provável relação entre o sistema dopaminérgico, serotoninérgico e peptidérgico com os neurônios identificados por marcação retrógrada nos gânglios nervosos centrais, através da comparação entre os neurônios retrogradamente marcados com neurônios imunorreativos à tirosina hidroxilase, serotonina e FMRF-amida. Neurônios retrogradamente marcados foram encontrados nos gânglios pedais, pleural direito, parietal direito e visceral. Encontrou-se na superfície do tegumento do PNEUÓSTOMA um epitélio constituído de uma única camada de células cilíndricas, com microvilosidades ou cílios como terminação apical, envolvido por uma camada muscular bem desenvolvida. Foi possível verificar que a organização da inervação na região do PNEUMÓSTONA está constituída de uma rede neural para suprir a camada muscular e ramos neurais mais finos que estão mais densamente distribuídos em um plexo na camada epitelial e subepitelial adjacente, onde corpos celulares neuronais foram identificados. A análise do padrão de inervação do PNEUMÓSTONA, juntamente com os dados da comparação entre neurônios retrogradamente marcados e imunorreativos no SNC, permitiu concluir-se que o neuropeptídeo FMRF-amida parece ter uma grande importância na regulação motora da região do PNEUMÓSTOMA, assim como a 5-HT, que provavelmente possui uma função motora ou modulatória nesta região, enquanto que a participação da dopamina no controle respiratório deve ser principalmente sensorial, responsável pelas informações provindas do tegumento do PNEUMÓSTOMA.

    Like

  8. Olá Cacarol,

    Obrigada pelo extensivo comentário.
    Com isso estás a tentar com que te comam?

    Like

  9. Não sou fã de gatos, gosto mais de cães!! 🙂

    Like

  10. Cada um especial a sua maneira Nokas.
    🙂

    Like

  11. Utena,

    Para que conste, adoro gatos!
    Não tens a sensação que escondem um qualquer mistério?
    Tenho duas, uma persa já velhinha – a minha sombra, que está sempre onde estou -, que olha para mim com uns olhos lindos de morrer, super expressivos, e uma rafeira estranhissima, super nervosa, super timida, que quando vê alguém que não conhece se esconde, que se asusta com a própria sombra, mas que também é uma delícia.
    Penso, que uma das causas de algumas pessoas não gostarem muito deles, se deve ao facto de não conseguirem “entrar” naquele mundo misteriosos, de não entenderem o ar superior e independente que caracteriza o gato.
    Quem os conhece fica fascinada pela expressividade de que são capazes.
    São traiçoeiros, dizem alguns, e eu respondo: não, não são!
    Aprendam a olhar para as suas atitudes, para os seus olhos, para músculos do focinho e está lá tudo: a alegria, o gozo, o medo, a ameaça, tudo.
    Agora, num outro registo. Já reparaste quando fixam o olhar num determinado ponto, um ponto que para nós é o vazio, e não desviam dali o olhar? O que estarão a vêr? Um mistério!

    Beijinho.

    P.S. A minha “sombra” chegou. É hora do lanche!…

    Like

  12. Teresa,

    Os gatos são sensitivos… aliás a inocencia é por isso os animais reagem ao “vazio” e as crianças têm “amigos imaginarios”.
    As pessoas julgam o que não conhecem e por isso fecham a porta a um conhecimento maravilhoso.

    Beijinhos e miminhos à sombra

    Like

  13. Uteninha eu gosto muito de tu*

    Like

  14. Cacarol,
    Estas a ficar familiar….

    Like

  15. Beijinhos Cacarol

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: