A seu o seu dono! (Um pouco de mim!)

Sou uma eterna insatisfeita… uma pesquisadora constantemente louca em busca de respostas… em procura constante do que querem dizer as entrelinhas do que vejo… os sussurros do que ouço suavemente como se de um pequeno sopro se tratasse em meus ouvidos.
Não luto contra isso, desisti de tentar ir contra a natureza do que sou… do que escolhi ser quando voltei agarrada a esta roda de encarnações que é a vida.
Houve uma vez que li “não peças para que reduzam o tamanho da cruz que carregas, pede antes que te fortaleçam os ombros para suportares melhor o seu peso!” lembro-me dela sempre que me sinto como se a um passo do abismo estivesse… marcada a fogo como uma tatuagem que nos marca a pele mas desta feita na alma.
E embora não o mostre… me esconda por detrás desta fachada de titânio de “mulher inquebrável e indestrutível” sou mais humana que muitos que andam por ai aos caídos… que sentem em si a constante necessidade de se sentirem acarinhados… de se sentirem amados.
Maldita a sina esta minha, devia estar bêbada ou drogada quando decidi que era o que queria, quando exercendo o livre arbítrio a escolhi… parece que me estou a ver!
Extremamente direita, olhos em frente… posição de equilíbrio mantendo o peso controlado nos pés e as mãos em punhos cerrados… com o leve arquear de sobrancelha e o meu típico riso trocista… respondendo com um leve enfado:”Sim é isto que quero… tenho plena consciência do que vem e estou preparada!”
Parece que consigo ouvir o suspiro de quem me fez a pergunta e a sua suave resposta:
“Assim seja!”
Maldita arrogância esta minha que não aprendo a controlar… maldita mania que se prende a mim como se uma fragrância se tratasse que me torna incapaz de dizer não a batalhas ou de baixar os braços frente a causas perdidas!
Queria ser capaz de gritar por ajuda… simples certo? Chegar perto de alguém e dizer: “Desisto! Chega! Quero colo… resolve por mim pode ser? Não me apetece não vale o esforço!”
Céus… só de escrever isto sinto que me revoltam os fígados! Seria incapaz de o fazer… não em vez disso tento reunir-me de quem eu sei que não me falha… de quem me manda lixar baixinho quando respondo: “Eu? Eu estou óptima a sério!”
As vezes erro na escolha… a maldito presunção humana de querer ver as pessoas como nós gostaríamos que elas fossem tendem a ter estes reveses de medalha…
Mais dolorosa para quem as não quer ver… mas ai surge sempre na mente a velha cantilena da minha avó:
“Quem eu quero não me quer… quem não quero gosta de mim…”
E acreditem que isto não se aplica só ao amor… esse maldito sentimento de descontrole de hormonas que tem a capacidade de fazer gelar o inferno….
A força com que encaro cada dia é a mesma, não saberia ser de outra forma… a dor que me atravessa o peito quando fecho os olhos… essa é mais aguda!
Nem uma mensagem de saudades de quem supostamente nos queria para a vida tem destas coisas…
Se gosto dele? Já não! Aprendi que quando gostamos mais de nós temos a capacidade de neutralizar sensações e sentimentos que nos fazem mal.
O que penso é que sinto na alma a tristeza de mais uma vez me ter enganado… de mais uma vez ter sido suficientemente arrogante na minha certeza de saber o que por ai vinha e saber que tinha capacidade de o aguentar!
Não saber ser diferente, não ter a capacidade medidora de saber até que ponto nos devemos entregar a um sentimento é uma virtude que não tenho!
Não veio infelizmente no pacote que escolhi….
Só sei dar 110% de mim… de corpo e alma… do que é bom e do que é mau! Eu na totalidade forte e fria do que sou! Se é um defeito grave assumo e aceito como tal!
Apenas sei que cada vez que caio e me levanto mais uma parte de mim aceita a aprendizagem como sua… e embora tenha sempre lá uma mão amiga que me ajuda a levantar gostaria nem que por breves instantes… sentir o aperto do que é ter na mão de quem nos ampara a força da outra metade da laranja.
(E chega por hoje Jasus que estou lamechas que chegue! KANERVOS J)
Advertisements

Posted on May 16, 2011, in Revelando-me. Bookmark the permalink. 8 Comments.

  1. Dias de merda todos temos. Mas ser como tu poucos são. Sem pieguices…Não haverá muitos que te merecem…Não é justo? Não. é o preço a pagar:)

    Like

  2. Ai Utena. O teu principe vai vir. E quando chegar vais compreender que todo este caminho serviu como aprendizagem. Espera um bocadinho mais. Só mais um pouquinho.
    Beijo grande

    Like

  3. És apenas humana…

    Like

  4. M.
    Elogios? Olha que me habituo a isso e depois é o camandro…
    Não quero muitos que me mereçam… um só chega =)
    Beijinhos

    Like

  5. Coisas de Feltro,
    Pronto está bem eu espero… mas só mais um bocadinho… =)
    Beijinhos

    Like

  6. Nokas,
    Sou sim eu sei… e é uma merda aceitar esse facto =)

    Like

  7. Eterna insatisfeita? Acho que não.
    Se dissesses que gostas de ter as coisas no lugar as ideias e os actos perfeitamente definidas e sem ambiguidades concordaria mais contigo.
    Mas vamos ao cerne da questão, estás magoada e desiludida com o terminar de uma relação.
    E não pelo terminar em si mas por te sentires enganada por palavras que foram ditas mas que não passaram de palavras e que não tiveram a correspondencia em actos que tu esperavas que acontecessem.
    E não sei se te enganastes ou se te deixastes enganar por estares a desejar que algo acontecesse e de uma certa forma tenhas propiciado o dizer de certas palavras pois alguem descobriu que tu as gostarias de ouvir.
    Tu quando te dás é como dizes a 110% e esperas receber exactamente o mesmo mas nem toda a gente é igual.
    Sentes falta te ter uma meia laranja e aí compreendo-te perfeitamente uma meia laranja que o seja na totalidade para ti.
    Diz-me a minha experiencia de vida que isso não é simples e que por vezes temos que ter dois quartos de laranja para se juntarem à metade que nós somos.
    Podes sempre contar com este quarto…
    Beijos

    Like

  8. Mega,
    O facto de me conheceres e de saber o que digo na totalidade quando o faço apenas por meias palavras faz-te ler-me nas entrelinhas melhor que qualquer pessoa…
    As vezes acho que em certas alturas me compreendes as vezes melhor que eu a mim mesma.
    Mas sabes como eu sou…exagerada em tudo e quando caio a queda aí é extrondosa…
    Tudo passa… e quando passa adquirimos conhecimento que nos é util neste peça que é a vida.
    Beijos com sabor a laranja =)

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: