A ironia que reside na ignorância dos chamados eruditos

Tempos houve na minha vida em que eu queria ser médica, fui provavelmente das primeiras meninas a ter um KIT completo de médica para brincar que o meu pai fez questão de ir a Espanha comprar de propósito (sim sou muito menina dos pais e sabe bem á brava), com tudo o que um médico supostamente levaria na sua pasta e era a minha companheira para tudo!
Escutei o coração as pernas das mesas, dei injecções aos sofás da casa… tirei a febre às almofadas…tratei das doenças às bonecas… não havia nada que eu não fizesse com aquela mala.
Passei pela fase de querer ser pediatra… a clínica geral… a veterinária… a pediatra… sempre andei por aí… ora uma ora outra!
Nunca quis ser actriz…cantora ou modelo. Penso que terei passado pela fase da cabeleireira mas isso acho que é geral a todas as miúdas!
Depois fui crescendo, sempre com essa ideia na cabeça… tirei um curso de socorrismo (com nota máxima que muito me orgulha. Sim eu sei que sou cagona) … interessei-me pelas massagens… pelas ervas… por tudo que a meu ver se conjuga no que deveria ser um apoio ao doente e ao seu bem-estar!
E depois vieram as médias altíssimas… a falta de padrinhos para entrar (que queiramos ou não funciona em quase 90% dos casos) e a desilusão que se começou a implementar em mim com a ideia que se enraíza em quase todos os Doutores deste país… que a ciência está acima de tudo e que a verdade é única!
Aliás vejo a medicina tradicional como uma nova inquisição, onde muitos doentes são desconsiderados porque tentam outros métodos e muitos profissionais sérios das chamadas medicinas alternativas são ridicularizados em público por gente que devia ter juízo e vergonha na cara.
Sou uma curiosa por natureza (não cusca, estou-me literalmente a cagar para a vida dos outros), adoro pesquisar…aprofundar… ir ao fundo da questão e mais além… por isso sou louca por debates… trocas de ideias! Discussões inteligentes mais ou menos acesas! Sou das que acredita que a conversar todos se entendem mesmo quando é necessário um ou dois murros na mesa (chamem-me idealista a ver se me importo).
Não acredito em verdades absolutas… em certezas inquestionáveis… nunca fui assim! Sempre tentei e consegui descobrir variantes que alteram e questionam aquilo que todos tomam por certo. E a verdade é que me dá um gozo enorme abalar alicerces supostamente seguros mas que estão presos em bases frágeis porque foram esquecidas lições valiosas.
Por isso ferve-me os fígados quando vejo reportagens…ou ouço opiniões de que as Medicinas Alternativas são apenas ilusões para roubar dinheiro aos iludidos…Que são apenas comprimidos de açúcar ou massagens de relaxamento…
E então e os medicamentos tradicionais são o quê? Já perderam tempo para ler a bula de um medicamento a sério?
“Curamos as hemorróides mas fazemos diarreias… vómitos… problemas renais… and so on” é quê? Fábrica de fazer dinheiro?
Senhor Doutor dói-me o joelho mas é melhor passar-me já para os problemas que o remédio vai causar e já agora outros para o problemas que esses causam… ciclo vicioso este não acham?
E mais uma coisa? Os medicamentos são feitos do quê? De merda? Ou daquilo que a natureza tão generosamente nos dá? E se assim é os chás… as mezinhas que as “bruxas” fazem… os comprimidos de açúcar como chamam não são eles próprios ervas que crescem abundantemente por ai?
Charlatães existem em todos os lados… tenham eles diploma consagrado pelo governo ou não. E ignorar conhecimentos de décadas é um erro que se paga muito caro! E devia ser estudado e respeitado antes de ser ridicularizado porque compromete o bolso de quem se acha dono e senhor da vida e da morte!
Para terminar deixem que vos conte uma história verdadeira:
“No norte, na terra onde fui registada havia uma senhora aquela a que chamamos curandeira que curou muitas crianças e adultos queimados de ficarem marcados para a vida, salvou aliás a minha mãe quando os médicos já tinham dado a sentença de morte dela a minha avó… hoje é uma mulher linda sem uma marca! Aliás eu própria passei por esse tratamento a uma queimadura de canja em ambas as pernas e neste momento não tenho uma única marca.
Ora ela era muitas vezes procurada por pais em aflição e foi procurada por uma mãe que tinha a filha no hospital já a algum tempo, depois daqueles tratamentos horríveis e dolorosos com pomadas e gazes que lá fazem.
Pouca gente sabe que o queimado demora 7 dias a lavrar (a piorar) e 7dias a curar!
Quando a senhora viu a criança disse á mãe que não sabia se podia fazer alguma coisa pois a criança já tinha sido sujeita aos tratamentos convencionais, mas mesmo assim a mãe resolveu aceitar e responsabilizou-se pela saída da criança durante o fim-de-semana!
Em dois dias a criança quando voltou ao hospital parecia outra e a mãe retirou-a de lá depois de fortemente desaconselhada pelo médico.
Médico esse que foi falar com a Senhora e perguntou o que ela tinha feito e que era passível de cadeia.
O que ela lhe explicou.
O remédio trata-se apenas de água de cal a que sobe quando a cal deposita e azeite. E a verdade é que eles se misturam criando um líquido opaco e em conjunto com as folhas de jarro e o leite que soltam cura na perfeição e regenera a pele do queimado.
O médico foi a procura nos antigos livros de medicina e o remédio consta dele.
No fim disto o que o médico pediu não foi para que houvesse provas e ele fosse aceite como tratamento e assim evitássemos as marcas horrendas do queimado. Não o que pediu foi um frasco para ter em casa caso as filhas se queimassem!”
Por isso deixem de olhar sempre para a frente, a cura e a evolução é necessária mas não descurem o conhecimento do passado e aprendam a respeitar o que desconhecem porque muito provavelmente se trabalhassem em conjunto muitos dos males que assolam o mundo já estariam controlados ou a caminho disso!
No que diz respeito á medicina o homem não evolui nem estagnou… regrediu e isso é que custa tanto a engolir!
Pelo menos a mim!
Namasté!
Advertisements

Posted on July 19, 2011, in Uncategorized. Bookmark the permalink. 16 Comments.

  1. Tens toda a razão da discussão é que nascem ideias! E ser curiosa nesse sentido é uma coisa boa! 🙂
    Realmente muito mal de diz da medicina alternativa, mas nas aldeias do interior do país sempre se usaram e ainda se usam as mezinhas da “avó”, que pelo menos não são compostas por químicos que fazem bem a uma coisa, mas fazem mal a três outras… sou apologista que se continue a investigar aplicando, conjungando as medicinas alternativas com as ditas convencionais… todos teríamos muito mais a ganhar com isso!
    Quanto ao que queria ser quando era pequena, lol, bem, já sabes o que era, lol!!
    Beijos e bem haja!
    OlgaM

    Like

  2. Olga minha cantora lírica =),

    Sempre pensei que o antigo e o moderno devem andar de mãos dadas…
    Só assim se evolui!
    Beijinhos

    Like

  3. olá Utena! há muitos interesses por detrás dos medicamentos convencionais. mas isso não impede que a maioria não seja eficaz e não tenha alternativas. acrescento que a maioria dos medicamentos (hoje) não são derivados de produtos existentes na natureza. são moléculas sintéticas, desenhadas por se saber que determinados tipos de radicais químicos provocam este ou aquele efeito. e não me importaria de me estender… mas fica para se um dia nos viermos a conhecer. porque o mundo não é só preto e branco. e porque há (como disse abaixo no post sobre a dor) pessoas boas e pessoas más em todas as profissões. o mesmo na medicina. o mesmo nas farmacêuticas…
    bj

    Like

  4. Quando era pequena queria ser jornalista, ainda não sei bem porquê!!
    Quanto à medicina alternativa, deveria ser bem estudada, principalmente quando é usada por amadores que não fazem mais do que prejudicar a sua verdadeira intenção!

    Like

  5. Eu queria ser bombeiro, tirei o curso de mecânica para acabar vigilante, o mundo da muitas voltas, mas hoje sou uma espécie de macgyver e não arrependo, não mexo no que não sei, mas o que sei, ataco logo, parar é morrer!! 🙂

    Like

  6. lolololololol Achei piada à descrição no inicio do texto

    A área medicamentosa é uma indústria com muito lobbies, como se pode perceber…mas tb existem pessoas envolvidas que são éticas e isto tb é válido para todos os ramos profissionais.
    Quanto às medicinas alternativas, acho pessoalmente que é chegado o momento de aceitar a sua existência e creditar as mesmas, até porque assim evitam-se as promíscuas…num contexto onde não existe triagem, tudo singra, principalmente para os mais desavisados…
    Numa sociedade mais conhecedora onde os paradigmas mais actuais da ciencia prevêem que se olhe o humano segundo uma perspectiva mais abrangente e mais diversificada (até pelas culturas)há que não ter a veleidade de tudo comandar…a medicina tem de abrir o “espirito” a outras formas de “ser”…mas o receio é muito, pois teme perder o elitismo a que foi consagrada!
    Contudo, acredito que as pessoas tenham os olhos mais abertos e se fossem como tu e procurassem pelo conhecimento então não teríamos problemas…ou seja, alguns até que teriam…lololololol
    “qd era pequena tinha eczema supurativo na mão direita o que me impedia de escrever ou fazer qualquer coisa nas fases mais agudas. A minha avó materna era uma mulher sábia e intressava-se pelo valor medicinal das plantas…era curiosa no sentido positivo da palavra…lol
    O que sei é que ela colocava as folhas de “gigante” previamente fervidas(planta endémica da Madeira) e a inflamação dimimuia e lembro-me que tinha um alivio da dor e do edema, para além de ajudar à cicatrização…”
    Como vês amiga eu tb estou a aberta a alternativas….mas atenção, àquelas que mostram ser adequadas e para isso são precisos estudos credíveis ou então a experi~encia das pessoas que tb não deve ser desprezada…
    Bem, isto hoje foi só testamentos
    Para a semana já te livras de mim…lolololol
    Bjs

    Like

  7. António,

    Aqui o que eu quis dizer foi que o não aceitar outras ideias gera ignorância e falta de evolução que poderia ser muita agora se soubessem ser abertos e aceitar o que a tradição já comprovou como eficaz…
    Os cientistas não inventaram o Ovo de Colombo… e a resposta esta na natureza… naquele que todos agridem e poucos respeitam…
    Beijinhos

    Like

  8. Nokas,

    Incompetentes existe em todo o lado, como cirurgiões que se “esquecem” do bisturi no interior do corpo de quem deposita a sua total confiança.
    Mas entendo o que dizes se houvesse menos intolerância e preconceito não haveria tanta “banha da cobra” nem tantos charlatães por ai

    beijinho

    Like

  9. Nuno,

    O homem dos 7 instrumentos =)…
    Bombeiro era? Querias andar a apagar fogos?
    (Não resisti)
    Sim sei o que queres dizer é atacar o touro pelos cornos

    Beijos

    Like

  10. CF,

    Antes de mais eu adoro os teus testamentos e são sempre um óptimo complemento para os meus textos.
    Eu vejo as alternativas como as drogas devem ser liberalizadas…permite não se comprar gato por lebre!
    Se houver conhecimentos as pessoas não são enganadas e as opções são muitas…
    O donos e os senhores da verdade tem de ser colocados no lugar deixarem os tachos e passarem a aceitar o conhecimento que pode trazer solução a muitos dos sofrimentos que existem hoje em dia.

    Beijinhos =)

    Like

  11. Concordo que há muitos conhecimentos que, com o avanço da medicina, quase cairam no esquecimento. Mas acho que as mentalidades estão a mudar. Nunca vi tanta gente a recorrer às medicinas alternativas como agora. E aqueles conselhos antigos não se devem esquecer. Ex: em casos simples, em que se encosta a mão a um recipiente a escaldar, ou água a ferver salpica, nada como colocar mel em cima e manter, se necessário cobrir com gaze. Resulta mesmo!

    Bjs

    Like

  12. Palavras sábias Utena, os antepassados sabem tudo!

    Like

  13. Coisas de Feltro,

    A verdade é que nos antigos livros de medicina muitas vezes as chamadas “messinhas” constam lá… mas são antiquadas porque é melhor encher o corpo de químicos
    Beijinho

    Like

  14. Pink,

    Sempre por isso adoro passar tempo com os mais velhos

    Like

  15. A mim também me irrita o paternalismo com que se tratam as chamadas medicinas alternativas. E há tantas! Se as pessoas têm séculos de experiência, tentativa e erro, e transmissão de conhecimentos riquíssimos com substâncias na natureza que funcionam, porque se há-de duvidar da sua eficácia? Enfim… beijinhos

    Like

  16. Eva,

    A mania do homem tentar domar e controlar tudo até o próprio homem vai ser o motivo da sua destruição…
    Enfim

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: