Blog Archives

Coisas que me irritam (parte III)

Depois da parte I e II não posso deixar de vos trazer a parte III desta já tão esquecida rubrica… confesso aqui que afinal não existem assim tantas coisas que me deixem irritada… o que acontece é que aquilo que me deixa irritada, deixa-me mesmo irritada e isso fazia parecer que era muita coisa. Não é, mas isso não significa que não descubra outras a longo prazo e se assim acontecer eu volto.

Posto isso aqui fica o terceiro capitulo de “Coisas que me irritam”, dadadaaaa (com o respectivo gingle obviamente):

extremismo1. Extremismos:
Seja de que tipo, religioso, alimentício, orientação sexual ou mesmo musical, todo e qualquer extremismo têm a capacidade de me tirar do sério. Sou a favor do livre-arbítrio e ainda me considero suficientemente livre para fazer o que me der na real gana, desde de que isso não influencie a vida de ninguém. Não impondo ideias ou ideais a ninguém também não tenho tolerância para que me sejam impostas e hoje em dia esse é o pão-nosso de cada dia. Imagens de animais estropiados apenas para fazer o nascer “vegano que existe em nós” ou de massacres religiosos para nos dar “vontades de reabrir os autos da fé” não levam a lado nenhum a não ser ofensas e violência gratuita.
Faz falta o saber estar e saber falar, a troca de ideias sem imposição, mas isso nunca vai existir e isso em parte é muitas vezes devido a 2 coisa que me irrita solenemente e que vou escrever de seguida.

Haters2. Haters (ou como eu costumo designar gente que não f@de)
Não tenho paciência a sério que não tenho, gente mesquinha que detesta porque sim é gente que literalmente não sente o sabor de um orgasmo a séculos. São eles muitas vezes os causadores de extremismos e trocas acesas de conversas. Gostam de lançar as achas com frases tipo, e depois de verem o “circo a pegar fogo” vão buscar as suas pipocas e assistem à merda que causaram. São facilmente reconhecidos pelos argumentos bacocos que de inelegantes pouco têm e de produtivos menos ainda. Se lhes perguntas para dar solução ou explicar o porquê da opinião contrária, respondem-te que não se têm de justificar pelo seu gosto.

gerundio[1]3. Gerundistas (inventei a palavra e sim estou muito satisfeita com o feito)
Os tentando, escrevendo, vendo, cagando… não tenho paciência para isso, gosto muito da língua mãe, sim passei as passas do Algarve a dizer os verbos (cantados, no meu tempo ainda era assim), mas não tenho de o usar apenas para simular inteligência. Denota mau gosto e uma incapacidade gritante de falta de sabedoria a construir uma frase. O único sitio aceitável é no Alentejo, eles ganharam o direito a usar o verbo da forma como bem entenderem… Agora de resto é só o uso idiota de um estrangeirismo que nem dessa forma deve ser considerado já que brasileiro não é língua é sotaque.

Telemóveis4. O uso excessivo do telemóvel, ou qualquer outro gaget como sinónimo de riqueza ou poder
Eu não sou hipócrita ao ponto de dizer que eles não nos dão jeito, até porque eu faço tudo com o meu, desde de ir ao banco a responder a e-mails, mas não faço questão de andar com eles 24 horas por dia ou de os exibir como um qualquer sinónimo de conta recheada no banco. E sejamos sinceros falar ao auricular ou em alta voz enquanto caminhamos e em voz sonante dizemos o negócio de milhões que estamos a preparar não é só estúpido é parolo (as minhas desculpas aos parolos que esses sim têm dinheiro).
Se juntarmos a isso o facto de os pagarem a prestações, enquanto vivem de rendimentos, ou reclamam do preço dos livros da escola dos miúdos (que estão pelo preço da morte, mas têm de haver prioridades), é caso de internamento. Parem 5s, não é preciso mais, e avaliem a sociedade ao vosso redor,não há convívio há feeds… e não vivemos mais em sociedade… navegamos… e isso é tão triste.

Julgar pela aparencia5. Julgar o livro pela capa
Essa talvez seja aquela que mais me irrita, o julgamento precipitado do outro… pela forma como te vestes, pelo que ouves, onde trabalhas… nessa caso eu posso falar por mim… as inúmeras vezes que já ouvi… “ninguém diria, a trabalhar atrás de um balcão e os conhecimentos que tem” como se isso fosse sinónimo de burrice. Se soubessem os conhecimentos, as risadas, as partilhas que perdem por se afastaram dos outros que não “cruzam com os vossos padrões” não seriam tão rápidos em julgamento e teriam tanto mas tanto a ganhar.

E pronto fim da rubrica… caso se justifique volto com a IV parte de “Coisas que me irritam” (isto dito com voz sonante por favor)… dadadaaaaaa.

Namasté _()_

Pensamentos meus

Todo mundo tem clientes. Só traficantes e empresas de software é que tem usuários.
Bill Gates

Quando era miúda costumava perguntar-me a mim mesma o porquê de tendo nós um país tão admirado pelo mundo não investíamos mais em turismo, em turismo de excelência, no saber receber bem… quando expunha isso aos “adultos” era crucificada com frases tipo:

“Era o que faltava servir os outros”, “Nós não somos empregados de ninguém” e outras pérolas que tais…

A medida que fui crescendo acabei por realizar que a realidade das coisas está no facto de todos, independentemente do tipo de profissão, termos clientes… os doentes são clientes dos médicos, os atletas clientes do ginásio, os alunos clientes dos professores, porque é no atendimento que reside o pagamento que origina o ordenado que levamos para casa a cada fim do mês.
Ao chegar a essa conclusão acabei por chegar a outra, a maior parte não gosta de atender porque não sabe ser cliente… confusos? A ideia não é tão despropositada assim e não, não acho que o cliente tem sempre razão, isso seria apenas e só idiota o que eu vejo é que o português tem dois estágios na categoria cliente:

Ou é burro e mal-educado o que leva a que seja inconveniente e perca a razão ou então paga é mal tratado e ainda agradece… ou seja levam a exaustão o termo quem não está bem que se mude… mudar porquê? Porque haveria eu de mudar de um sítio porque não concordo com parte do atendimento mas até me sinto bem no espaço? Porque raio é que eu pagando não posso exigir o serviço desde de que o faça com conta peso e medida? Até que ponto não estamos nós como clientes a originar um mau atendimento?

Pior desde de quando é que é justo para qualquer um dos intervenientes que a exigência desde de que fundamentada não seja feita… ao fazer não iremos ajudar a que melhorem como profissionais e humanos?

Ou a critica construtiva que é tão aplaudida e desejada não o é assim tanto e na realidade julgamos-nos mais conhecedores que os outros ao ponto de sermos arrogantes e mal formados?

O que ganhamos com o falar nas costas? Com o apontar do dedo maldizente de quem tudo critica mas em nada apresenta soluções? Acabo por chegar a conclusão que o que não falta ai é quem leve no cú o tanto que gosta de falar pelas costas… só não gostam é de o dizer a descarada.

Namasté _()_

Coisas que me irritam (parte II)

Da..da…da… lembram-se do gingle? Se se lembram de certeza que leram este texto, por isso e graças ao pedido de várias famílias (na realidade ninguém me pediu mas apeteceu-me fazer na mesma) dou hoje o lançamento da sequela (isto até parece uma coisa a sério e cenas) da segunda parte de Coisas que me irritam!

Tenho andado caladita e ausente mas tenho tido muitas coisas a fazer ao mesmo tempo, pelo que algo fica sempre para trás infelizmente…mas acredito que se estará a solucionar… penso eu… espero eu…

Por isso e sem mais demoras cá vão mais 5 Coisas que me irritam… da da da daaaaa!

1Pessoas que mastigam pastilhas elásticas

Pessoas a mascar pastilha elásticaNada contra as pastilhas…muito menos com quem as come… eu aliás sou uma consumidora dessas borrachas elásticas de diversos sabores, mas quando me deparo com certas “criaturas” que as mascam de boca aberta enquanto falam connosco seja ele em lazer ou profissional, vem-me sempre á memória a minha professora de medicina que dizia que:

parecíamos vacas ruminantes que após o almoço o regurgitávamos  durante as aulas para o pudermos mastigar melhor

Verdade seja dita que aprendi com ela a controlar o ímpeto de a mascar sempre que falo com alguém… não fica apenas mal fica ridículo e se a isso juntarmos o belo do poof do balão então é ouro sobre azul, versão má!

2. Os chamados inteligentes de informação desnecessária

Sabichões de meia tigela (geek)Já alguma vez disseram algo entre amigos ou postaram algo numa qualquer rede social por graça ou por sarcasmo e tiveram de levar com uma retórica elaborada que vos prova por A+B que as coisas não podem ser assim… ou a história toda do motivo porque aconteceu com direito a árvore genealógica e cronológica dos acontecimentos? Não vos apetece nesse momento dar uma de autênticos sacanas e mandar as pessoas irem plantar batatas a terra dos hobits? (sim… eu sei que não existiram e que foi apenas na cabeça de J.R.R. Tolkien) Sejamos realistas eu própria tenho uma data de informação que não interessa a ninguém e que uso numa conversa onde seja apropriado… mas isso não quer dizer que tenha de perder a ironia certo?

3. Cigarros electrónicos

cigarro-electronico-corbisJá aqui tinha falado sobre eles… a realidade é que estas canetas…aka vibradores…aka coisas que deitam fumo irritam-me sobremaneira. Se tenho alguma coisa a ver com o facto de onde as pessoas chupam…não tenho nada a ver… mas a partir do momento que o chupar deles invade o meu bem estar aí já o galo canta mais fino!

Aquela porcaria para além de parecer um nevoeiro ambulante ainda cheira mal como o caraças e se juntarmos a isso o facto de acharem que podem criar o seu próprio smog em qualquer local faz perder a cabeça até ao maior dos santos quanto mais a mim que de santa tenho tão…mas tão pouco!

4. Os recentes amantes da vida saudável

Saudaveis e as suas frases inspiracionaisSou alguém que por natureza gosta de viver uma vida saudável… a sério que sim! Prefiro o ar livre do que ficar em casa… não tenho paciência para ambientes de fumo só porque sim ou de beber até cair só porque é sexta e a regra assim o exige. Mas a verdade é que não há cú que aguente os recentes saudáveis…

Por exemplo: Lidar com um ex-fumador é certo que vamos levar com o catalogo todo das maleitas que advém do facto de fumarmos… da medicina a carteira e consequentes gastos levamos com a santa criatura de forma ininterrupta enquanto fumamos de forma ritmada e seguida o cigarro só para pudermos deixar de o ouvir… e quem diz isso diz um vegan… um vegetariano… alguém que começou uma dieta ou que pura e simplesmente resolveu usar o voucher para o ginásio que já esta amolecido do tempo e do bolor que ganhou por estar guardado na carteira… ele é frases inspiradoras… retratos de saladas…km e calorias gastas…enquanto o mais provável e assim que recebermos o prato do bife com as batatas fritas ficarmos sem elas “porque eles apenas as querem provar”… amigos o lema mente sã…corpo são… é mesmo no sentido de regrar as coisas e não de nos darem um ataque nervoso com o quanto saudaveis voces são… até porque verdade seja dita nós sabemos muito bem o quanto sonham por um gelado ou por um petit gateau.

5. Maquilhagem em exagero

maquiagem em excessoCada um sabe de si e Deus sabe de todos essa é uma verdade que devemos ter em conta… agora vamos lá ver se isso não significa vocês pensarem que a vossa cara é a pintura abstracta de Picasso.

Eu sou a favor de uma bem feita e cuidada maquilhagem… aliás por mim mulher nenhuma deveria sair de casa sem um rimel…um blush…não só nos dá um ar muito mais saudável como eleva certamente a auto estima, bem usada é um activador do que temos de melhor e um óptimo ocultador do que não queremos mostrar… agora quando isso significa que a mesma tenha de ser aplicada com uma pá de pedreiro e retirada com uma rebarbadora a coisa muda de figura e se juntarmos a isso me fornicarem a roupa toda que depois não só não assumem como ainda tenho custos com a limpeza das mesmas não me deixa apenas irritada…deixa-me com instintos assassinos. Por isso aqui como em qualquer outro lado…Q.B. e com isso menos pernas partidas (ok estou a brincar no máximo ficam apenas com um olho negro)

E terminamos aqui a II rubrica das Coisas que me irritam da da da daaaa

Até uma próxima…

Eu prometo que volto (com coisas mais sérias… ou não) voltem também!

Namasté _()_

Coisas que me irritam (parte I)

Vamos então dar entrada a uma rubrica neste blogue e é uma rubrica porque, perguntam vocês…porque existem tantas coisas que me irritam solenemente que se as dissesse todas de uma vezes iríamos ter vários cenários:

  1. Nunca mais acabava de escrever,
  2. Nunca mais acabavam de ler,
  3. Iam cortar os pulsos com cotonetes antes de acabarem o texto
  4. Iriam constatar que eu de facto tenho um feito de … um feitio difícil chamemos assim

Por isso cá vai… As coisas que me irritam solenemente…(sinto que devia ter um gingle a acompanhar…tipo….dádádá… mas a je aqui não sabe fazer essas coisas pelo que o ideal é mantermos as coisas simples)… ou então façam a música na vossa cabeça…isso sim ia ser giro.

1. Pessoas que tomam banho em perfume:

Exagero no perfumeVamos ver se nos entendemos eu adoro perfume e sou fiel ao meu perfume, mas perfume para esconder o cheiro de falta de banho não é mau é um atentado ao olfacto alheio. Amigas água e sabão nunca foi algo aonde deva haver contenção no seu uso e acreditem em mim o perfume depois fica muito melhor na pele. Aliás despejar baldes de perfume no corpo para esconder cheiros não é só uma má ideia é um atentado à sanidade pública. E acreditem nem Jean-Baptiste Grenouille ( o herói-vilão do livro “Perfume” de Patrick Suskind iria achar que era boa ideia usar as vossas glândulas sudoríferas). Por isso não se esticam e limitem-se ao pontos básicos e quantidades certas… atrás das orelhas e pulso e vá sejamos loucas um pouco no decote. 

2. Música aos altos berros nos carros:

Musica alta no carroAcreditem em mim eu não tenho nada contra a música, aliás penso que sem ela a vida não é a mesma coisa…mais… para mim não existe música má…existe digamos que mau gosto musical…mas lá por o meu gosto não ser o teu não quer dizer nada…agora impores os teus quase como se de uma banda sonora da vida real se tratasse é que não… a minha banda sonora escolho eu na cabeça, e acredita que o Tico e o Teco já andam baralhados demais para ainda os pores a dançar com o “Chupa do Zé da Esquina” ou o “Roça Roça do Manel da Encruzilhada” e não é que eu tenha algo contra isso…longe de mim… mas vamos pensar desta forma…eu também adoro o cheiro da maresia e nem por isso coloco a tua cabeça dentro de água salgada até parares de estrebuchares pois não… e bem que merecias…pensa nisso e sabes aquele botão que tens no auto-radio…minimiza lá isso!

3. Educação (ou falta dela)

Falta de educaçãoHoje em dia existem palavras que já ninguém usa… questiono-me se terão passado a ser taxadas e ninguém me avisou…Palavras como “desculpa“, “obrigada” ou mais básicas ainda como “Bom dia/Boa noite” andam ausentes do nosso dicionário e eu questiono-me porque… custará muito a taxa? Deixaram de ser usados com o novo “aborto ortográfico”?… O mais assustador ainda nem é isso… é o facto de que quando somos educados com alguém não só não sabem como agir como ainda se sentem intimidados…duvidam? Vejam este caso que aconteceu comigo…ontem ao sair de casa estava um rapaz a colocar publicidade na caixa do correio e como espirrou… eu disse “saúde“…simples certo?…E básico… O certo seria o rapaz agradecer, sabem o que disse? Desculpe… a sério? Num mundo onde já nem a educação básica existe como querem que melhore?

4. Filhos que mandam nos pais.

Crianças_paisDeus quando faz as coisas faz bem feita e deve ser por isso que eu não tenho filhos porque verdade seja dita se um filho meu sonhasse em mandar na minha vida ou em comandar o que eu faço ou o que eu deixo de fazer levava uma “cocada” tão grande que os meus bisnetos ainda a iam sentir. Não entendo como hoje em dia os pais vivem em função do que os filhos querem… ele é o Panda em vez do telejornal…os doraditos em vez de comida a sério… as compras de roupa só se os mandarins quiserem… questiono-me quando foi que fomos invadidos por uma qualquer “twilight zone” e eu distraída como sou não dei por isso…Utena Maria tanta mania tens tu que és observadora e depois dá nisto

5. Donos que não apanham os presentes dos seus animais

CãoNão existe ninguém no mundo que goste mais de animais que eu…poderá existir quem goste igual, não digo que não…mas mais que eu não existe. Agora lá por eu gostar de animais não quer dizer que goste que os donos os larguem para irem fazer as suas necessidades enquanto fingem que estão a ver a sujidade que têm entranhada nas unhas e fingir que não reparam que os pequenos estão a tratar daquilo que a natureza tem de mais normal. E mais irónico não é isso é serem os primeiros a reclamar quando enfiam o pé na merda que existe por esses passeios fora… eu por mim que sou exagerada peço sempre que caiam de boca aberta em cima dela que é para ver se acordam para a realidade e como ainda é proibido ser eu a empurra-los fico sempre a espera da providencia divina…

E pronto por hoje é tudo,encerramos a nossa rubrica com a promessa de voltarmos em breve… dádádá… vá não achavam que o gingle não ia aparecer outra vez no fim pois não?

Namasté _()_

OMNIA IN UNUM

Trilhos definidos em horizontes indeterminados

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.