De alma ferida observo

OLYMPUS DIGITAL CAMERAPonderei sériamente se deveria ou não falar sobre este assunto… sinto-me demasiado exausta do que se passou neste verão para puder pensar com sensatez sobre culpados, causas… tremo quando penso nos efeitos… devastadores… nefastos… traumáticos.

Mas mesmo no meio da minha dor calada não posso deixar de me sentir envergonhada pelo que vejo e ouço nas redes sociais e meios de comunicação.

Culpas atiradas de um lado para o outro simuladas num velhaco sacudir do capote que pela primeira vez me faz ter vergonha de ser portuguesa.

Eu, imigrante desde nova, defensora do meu país e dos meus, a caminho de entrar nos entas sinto-me envergonhada de dizer que sou portuguesa.

Nestes meses de inferno quente o meu país sofreu, sofreu a devastidão de um mal perverso ocultado pelas destruição das chamas devoradoras que de supostamente tão normais já deveríamos estar habituados… pelo menos é o que dizem… que nos devemos habituar… que não devemos esperar que os bombeiros do meu país sejam herois… não são meus senhores, são super herois sem capa mas de alma pulsante que durante estes meses beijaram os seus sem saber se os iriam voltar a ver para salvar população atrás de população humana ou não, numa luta perdida a partida e como super herois que são irão inevitavelmente ser esquecidos assim que o frio chegar.

Culpam o partido que antecedeu, a inactividade dos militares… a culpa do São Pedro vai na volta por não ter chovido como deveria… desculpam-se com a crise e o acaso… com a facilidade inumana de quem sabe que esta noite terá o tecto sobre a sua cabeça e irá poder dizer até amanhã aos seus.

Muitos meus senhores este natal não terão os seus para se despedir… avôs perderam os netos, pais perderam os filhos, maridos as esposas…. o tecto sobre a sua cabeça… a sua horta, os seus animais que eram o seu sustento neste país que se esqueceu do interior… dos velhos que se mantém presos as suas raizes.

Meus senhores que acusam tão levianemente, desde o 25 Abril que o governo se alterna entre dois partidos… um que se esconde numa direita interesseira e o outro que se esconde no “comodismo” de esquerda decadente, mas que onde ambos se classificam como centristas… centristas fajutos de alma podre e vendida que a única coisa com que se preocupa é saber quanto vão roubar e para onde vão ser colocados no tacho que é a tradição deste Portugal iludido de uma liberdade frágil e fajuta. Que acredita que acabou a censura… que o lapiz azul é agora cor-de-rosa…

No caso dos militares, basta terem dois dedos de testa para saber que cumprem ordens e aí, apenas aí aponto o dedo ao nosso PR por não ter puxado dos galões de Comandante Supremo das Forças Armadas e ter ordenado que se juntassem aos seus camaradas… pelo que conheço das nossas tropas fariam com gosto, já que sofreram na pele a inactividade quando actos terroristas devastavam o meu país

Sim acredito que para vocês criticos do sofá, escondidos por detrás do ecrã, actos terroristas apenas incluem, bombas, tiros e raptos… mas um terrorista é muito mais, é alguém que destroi de animo leve a vida de alguém… a força de um pais.

E depois vêm as criticas ao nosso PR, “não deveria ter pedido soluções”, “não deveria ter colocado contra a parede”, “apenas quer desencadear uma crise”, “é o gajo dos abraços”… que vergonha sinto eu do meu povo, que a cada dia que passa mais limitada têm a visão, que se tornou frio e mesquinho, um povo tão conhecido pela sua forma calorosa de ser… fazem-me lembrar crianças mesquinhas que não limpam porque não sujaram… era preciso alguém com os tomates no sitio para assumir o acto criminoso que ocorreu neste verão, alguém que assumisse a sua culpa mas exigisse soluções… não! Não sou a favor da demissão da ministra, não sem antes assumir responsabilidades e averiguar onde existiu a falha real, cometida pelo partido dela ou pelo outro que na realidade é o mesmo… no fundo eles são amigos que dividem tachos.

Envergonha-me… não entristece-me esta inactividade, esta facilidade de apontar o dedo, de se fazer acusações ao invés de se assumir responsabilidades… de se acusar, de se sacudir a água do capote, desta inacapacidade de se pedir desculpa por não se ter tido a capacidade de se cumprir o papel que é nosso apenas porque nos foi dada a confiança de um povo,

Assassinos continuam impunes, soltos para continuar a perpetuar o mal, encomendado por outrém… por uma qualquer entidade maligna que de tão poderosa ninguém sabe ou quer saber quem é.

Mas no fundo ainda consigo ter orgulho em dizer que o meu Presidente é o Professor Marcelo Rebelo de Sousa, que pode cometer erros, e querer poder… mas não se inibe a pedir desculpa, a prestar homenagem, a estar presente.

Sim eu sei que para os cinicos um abraço vale muito pouco, mas para quem tudo perdeu vale muito… independentemente das vossas opiniões de merda petulante do alto da vossa imaculada vida perfeita.

Namasté _()_

 

Advertisements

Keep the smile on!

6fb36a7b7c538c494098e1e494cd14ab--gratitude-symbol-the-energy

Ontem decidi um texto na minha cabeça, preparei, orientei, alinhei… compus… deixei-o pronto na mente para o transpor para o word e do word para o blogue. Eu sou assim mesmo, existe quem rascunhe o texto numa folha de papel, riscando e acrescentando frases aleatórias que melhor se coadunam eu não…eu faço isso na minha mente, visualizo as palavras e as frases, encaixo pensamentos, muitas vezes em novelos de tal ordem apertados que nem eu os entendo, provavelmente por isso é que muitas vezes a minha pontuação se perde nos meandros confusos da minha mente.

Por isso sim, ontem fui compondo o meu texto, a minha critica apontada à sociedade que nos estamos a tornar, à sociedade que se preocupa com mesquinhez que vale o que vale, a sociedade que se orgulha de ter uma celebridade decadente a aplaudir uma selecção num estádio mas que não se preocupa com as reformas miseráveis dos nossos velhos que muitas vezes têm de optar entre comer ou tomar medicamentos que tanto necessitam, a sociedade que se preocupa que essa mesma celebridade não encontre casa em Lisboa mas que não se preocupa com centenas de famílias que vivem em condições de miséria extrema e pobreza envergonhada, esgotados e esquecidos, ignorados por quem por eles passa… sim tinha o texto perfeitamente alinhavado, prontinho para apontar criticas a preocupações levianas de mentes prostituídas pela informação fútil que não lhes mexa com a vida nem lhes faça doer o coração… tinha-o tão bem preparado do alto da minha montanha de superioridade fútil e gasta de melhor que o outro enquanto na realidade sou igual…

Sim posso até me preocupar com os animais mal tratados, com os velhos abandonados e as crianças esfomeadas de carinho e atenção… posso me estar a marimbar para se a celebridade vai viver em Lisboa, em Corroios ou no raio que a parta mas a verdade… aquela bem escondida no fundo do baú que é a minha mente é que me preocupo também com mesquinhas coisas, me irrito com pedaços bacocos, me enervo com merdinhas supérfluas enquanto na realidade deveria acima de tudo sorrir mais, julgar menos e viver em pleno.

No resumo? Ser mais grata!

Preocupamos nos em demasia em tentar viver enquanto que na realidade para viver bem é muito mais simples deixar as coisas irem… tanta inveja, tanta raiva, tanta critica… fulano não escreve bem, sicrano não limpa, aquela não para na passadeira, a outra não agradece… mesmo quando a situação não é connosco mas viramos a cara a injustiças e tristezas escondidas porque nos é mais confortável fazer…

Hoje vinha sim com um texto cheio de fel preparado, mas foi cano abaixo quando soube que um segurança cheio de vida e sorriso fácil aqui do centro onde trabalho foi para o hospital com o inicio de um ataque cardíaco… as vezes é preciso a vida nos gritar aos ouvidos que não somos nada para nos lembrarmos que pudemos nem ser, mas que somos humanos com uma capacidade louca de sentir… pena é que nos esqueçamos dela com tanta facilidade… no fim é como diz o poeta:

“Não levem a vida tão a sério, nenhum de nós sai vivo dela”

Namasté _()_

Então é o vosso dia

hqdefault

Antes de ter amado um animal, parte da nossa alma permanece desacordada.
Anatole France

Dizem que hoje é o vosso dia, eu digo que o vosso dia são todos os dias mas hoje em dia abundam os dias que se festeja alguma coisa, como se sofrêssemos todos de uma qualquer epidemia de esquecimento colectivo.

Esquecemos sim a nossa capacidade de amar, aquela pura com que nascemos e que aos poucos vamos arrumando na gaveta a cada pancada que nos dão, mas não vocês… Vocês sabem que independentemente de tudo a nossa capacidade de amar deve ser sempre aquela com que nos devemos reger. Vocês sofrem desumanidade só porque não se sabem defender mas mesmo assim confiam…confiam com uma capacidade tal que me chega a doer o coração.

Quem têm a capacidade de vos olhar com os olhos da alma sabe que vocês existem para nos ensinar a amar sem limites mas burros como somos não aproveitamos esse ensinamento precioso.

Neste dia, como nos restantes 364 dias do ano eu relembro todos de vocês que entraram na minha vida e me fizeram ser menos pior (se é que a frase existe) do que aquilo que sou:

Do coelho gigante em casa do meu avô, ao desdentado Pluto que sofreu tanto mas amou mais, as minhas pastoras Xana e Onda (que tantas vezes me fizeram andar de patins mesmo sem os ter calçados), o meu Roque (meu galinho amarelo que foi o único a fazer com que ultrapassasse a minha fobia), o meu Cocas (papagaio careca que morreste de saudades e deixaste em mim uma ferida que nunca sarou no peito), Trovão (o cavalo que me fez amar aventuras), Catarina (a elefante do Jardim Zoológico que adorava mimos), Skip (meu velhinho dos olhos doces), Chorão, Daisy (que ainda me dói a alma de saudades vossas), meu Roger que ainda se mantém junto a mim… nunca vi nenhum ser com tanta força de viver como tu… a todos os anónimos que passaram pela minha vida e cujo o nome eu não sei…obrigada pelos beijos, pelos mimos, pelas gargalhadas… por me encherem a alma de luz, paz e amor…são vocês ao contrario do que dizem a salvação do mundo, possamos nós ver isso antes de ser tarde demais.

Obrigada ❤

Namasté _()_

 

 

#Somostodosgurus

FB_IMG_1506862193307Nesta época tão famosa com os seus # deveriam criar um… o #somostodosgurus já que para onde se olhe todos são iluminados, índigos, reikianos, marcianos, caralhanos e outros ianos que tal.

Hoje em dia todos querem ser gurus… como se a espiritualidade fosse algo que se compra numa loja de quinquilharia se usa para dar charme temporário e se guarda depois quando estamos cansados de brincar… como se não fosse doloroso sentir a dor dos outros… como se o ser empático não sofresse com as angustias e as preocupações de quem o rodeia… engraçada esta vontade de ser mas sem as contra-indicações que daí advém.

Hipócritas mesquinhos…falsos moralistas… vampiros energéticos é isso que sois com a 1422716685.pngvossa boa ventura de auto sacrifício falso e azedo… são incapazes de dizer bom dia aos vizinhos mas conseguem sintonizar com os anjos para captar a sua essência que engarrafam com rótulos bonitos a serem vendidos a quem sofre… a quem não aceita este negrume que vivemos e procura em qualquer lado um ponto de conforto… Sintonização dessa tem um nome e foi esculpida maravilhosamente bem por Bernini…. E é os que vos falta…

Pensando bem outro # deveria ser criado o #umorgasmopordiadasaudeealegria podia ser que assim deixassem de procurar fama a custa do sofrimento alheio e com toda a certeza iriam ter a noção do poder nem que fosse por micro segundos.

Um dom pode ser natural é um facto e pode ser trabalhado também mas como dom que é não esta disponível para o vosso uso fruto e da mesma maneira que um escritor tem de ter inspiração e um livro não é escrito na altura que ele quer, da mesma forma a energia que usam não está a dispor do vosso estalar de dedos, por isso é que este dom não pode ser usado para ganhar dinheiro. Porque simplesmente não te pertence… não tens sintonização contínua com os anjos… não existe um sistema de wi-fi permanente e as chamadas para o além estão pelo preço da morte por isso deixa-te de merdas…não és guru…não és dono da verdade… não tens o poder de captar a essência dos anjos… as velas com cheiro a pó de estrelas são velas de naftalina com purpurinas… no máximo o que tu podes ser é um recipiente mas mesmo aí tens de ser tão altruísta que tens de deixar que te usem para fazer o bem…ou o mal dependendo do que chamas já que o teu livre-arbítrio te permite chegar a tanto e a tua burrice te faz fazer coisas sem te informares primeiro.

Metem-me nojo as vossas conversas iluminadas, pobres de baixa qualidade que demostram em quase todas um auto bater nas costas… o dom é espontâneo, surge quando menos esperas, ataca até te deixar sem folego e depois disso tudo abandona-te deixando-te órfão de um poder que na realidade nunca foi teu…não acordas como num conto de fadas quando ele ataca… acordas com um grito mudo na tua cabeça…repetitivo…

eu não sou maluca…eu juro que não sou maluca…por favor ajudem-me que eu não sou maluca…

no dia que o ouvirem… o sentirem a rastejar como um insecto alienígena que te faz ficar com pele de galinha e te faz tremer as pernas aí falamos… até lá crianças imberbes… deixem de brincar com aquilo que não controlam!

Namasté _()_

 

Oh come on really?

Hoje saia eu de casa depois de ter feito o almoço e dirigi-me a passadeira para passar a rua, não sou das malucas que se atira para a frente assim que coloca o pé no branco da passadeira, esperei no intervalo entre dois carros para o fazer e quando o ia fazer, não tivessem sido os reflexos tinha sido literalmente passada a ferro… a criatura que ia ao volante, entretida no seu telemóvel nem se apercebeu de onde estava ou do que estava a fazer… posto isso digo eu:

Se largasses a merda do telemóvel se calhar já vias o que andavas a fazer

A moça não só se achou certa como ainda parou olhou para trás e disse:

Queres falar comigo? Queres? Eu paro já e conversamos

Eu que sou uma gaja sempre disposta a novos conhecimentos acedi…deu-me para rir… podia ser pior… mas algo no meu sorriso a deve ter feito mudar de ideias porque ao olhar para a frente deu de caras com um…policia..
É isto, a besta não só não parou na passadeira, como vinha a conduzir com o telemóvel, como ainda me ameaça em frente a um agente da autoridade que olha incrédulo para toda esta surreal situação.

Eu como sou fofinha e gosto de novas amizades reforcei em tom exageradamente alto:

Então?! Para além de não parares na passadeira, vires ao telemóvel distraída a conduzir e me ameaçares ainda fazes isso a frente da policia e agora vais embora? Cobarde pá! (ler em tom irónico)

Entrei no carro a bufar verdade seja dita que eu tenho tendência a atrair situações surreais mas a questão aqui é:

  • Nunca se ameaça alguém ainda dentro de um carro, porque vamos ser sinceros nunca chegam a sair… é só colocarem a cabeça de foca fora do carro e já estão a levar uma patada que não só vos deixa azamboados como disponíveis para levar uma coça tão grande que até a vossa 5ª geração vai sentir.
  • Vocês podem até andar marados dos cornos mas lembrem-se que não andam marados sozinhos e todos temos o nosso click que nos faz esquecer do politicamente correcto, eu por exemplo levava dois garfos no saco e era só usar para fazer ou uma massa quebrada do teu focinho ou ovos mexidos dos teus olhinhos… mas olha que até podia levar algo bem pior. Não sabem quem encontram na rua por isso por vossa segurança e nossa calma de espírito mantenham a calma, a boca fechada… conserva os dentes isso acreditem em mim.
  • Se mesmo assim acharem que podem fazer ameaças e tiverem tomates para as suportar, não o façam por amor da Santa em frente da autoridade… neste caso especifico não só tinhas levado no focinho como ainda apresentava queixa por atentado a minha integridade física… juntando a isso as outras 3 transgressões olha que era capaz de sair cara a brincadeira.
  • Por fim lembrem-se que o mundo são dois dias e que já basta a espiga de milho americana andar a medir pilinhas com o bolo da sorte coreano para sentirmos na pele a ameaça de uma guerra mundial… deixem de fazer campos de batalha de tudo e aceitam por favor quando estão errados como uma critica construtiva

No meio disto tudo lembrem-se que as distracções na estrada são fatais… muitas das vezes não o são para quem as causa… portanto larguem a merda do telemóvel quando andarem a conduzir, sempre chegam inteiros a casa.

Fodasse que isto só a mim!

Namasté _()_

Não consigo deixar de pensar na ironia

Ainda nem o inverno começou e já uma família foi parar as urgências com uma intoxicação alimentar.

Enquanto isso continuam as campanhas eleitorais bem falantes…mas melhor comidas e muito melhor ainda bebidas a pala de nós os contribuintes… as ovelhas mansas.

Ladrões barrigudos continuam a decidir a vida de um povo pacato que nada faz para mudar mentalidades bacocas de ladrões medíocres que se julgam heróis por roubarem o futuro às nossas crianças. Mas pior que isso é saber que aceitamos isso de ânimo tão leve mesmo quando se recandidata um indivíduo com provas provadas de roubos do que é nosso… Não deles, nosso. Mas nem aí se acham no dever de nos dar justificações.

Pior que isso é nós acharmos isso tão normal. Temos definitivamente o governo que merecemos.

Namastê _()_

PS: Já fiz os ajustes necessários… quem manda fazer o texto pelo telemóvel 😉

Pensamentos meus

Todo mundo tem clientes. Só traficantes e empresas de software é que tem usuários.
Bill Gates

Quando era miúda costumava perguntar-me a mim mesma o porquê de tendo nós um país tão admirado pelo mundo não investíamos mais em turismo, em turismo de excelência, no saber receber bem… quando expunha isso aos “adultos” era crucificada com frases tipo:

“Era o que faltava servir os outros”, “Nós não somos empregados de ninguém” e outras pérolas que tais…

A medida que fui crescendo acabei por realizar que a realidade das coisas está no facto de todos, independentemente do tipo de profissão, termos clientes… os doentes são clientes dos médicos, os atletas clientes do ginásio, os alunos clientes dos professores, porque é no atendimento que reside o pagamento que origina o ordenado que levamos para casa a cada fim do mês.
Ao chegar a essa conclusão acabei por chegar a outra, a maior parte não gosta de atender porque não sabe ser cliente… confusos? A ideia não é tão despropositada assim e não, não acho que o cliente tem sempre razão, isso seria apenas e só idiota o que eu vejo é que o português tem dois estágios na categoria cliente:

Ou é burro e mal-educado o que leva a que seja inconveniente e perca a razão ou então paga é mal tratado e ainda agradece… ou seja levam a exaustão o termo quem não está bem que se mude… mudar porquê? Porque haveria eu de mudar de um sítio porque não concordo com parte do atendimento mas até me sinto bem no espaço? Porque raio é que eu pagando não posso exigir o serviço desde de que o faça com conta peso e medida? Até que ponto não estamos nós como clientes a originar um mau atendimento?

Pior desde de quando é que é justo para qualquer um dos intervenientes que a exigência desde de que fundamentada não seja feita… ao fazer não iremos ajudar a que melhorem como profissionais e humanos?

Ou a critica construtiva que é tão aplaudida e desejada não o é assim tanto e na realidade julgamos-nos mais conhecedores que os outros ao ponto de sermos arrogantes e mal formados?

O que ganhamos com o falar nas costas? Com o apontar do dedo maldizente de quem tudo critica mas em nada apresenta soluções? Acabo por chegar a conclusão que o que não falta ai é quem leve no cú o tanto que gosta de falar pelas costas… só não gostam é de o dizer a descarada.

Namasté _()_

Cheers

free

A quem me pergunta se sou pessimista ou optimista, respondo que o meu conhecimento é de pessimista, mas a minha vontade e a minha esperança são de optimista.
Albert Schweitzer

Hoje ao comentar um post de uma amiga virtual que é mais real que alguns que julgava amigos, dei-me conta que apontamos demasiado o dedo de forma negativa e nos esquecemos de parar, pensar e homenagear os heróis esquecidos… aqueles que não se publicitam… os que são acusados de nada fazer e tanto fazem e que ainda são capazes de manter a capacidade magnífica de se rirem das acusações que lhes fazem.

Por isso um brinde a quem para na rua para ajudar um velhote a atravessar, a quem leva as compras a casa de uma desconhecida porque não tem força nas pernas para o fazer… a quem sorri e diz bom dia a alguém que está triste apenas para lhe alegrar o dia… a quem abraça um amigo só para lhe passar um pouco de energia mesmo sem dizer nada! Um brinde a quem brinca as escondidas com o filho de alguém que nunca viu na vida… a quem não bate com a porta na cara as testemunha de Jeová e lhes dá 5 minutos de atenção. Um brinde a quem guarda o pão e o deita mesmo as escondidas às pombas sem se importar com as multas que daí pode ocorrer, a quem guarda os restos do jantar para os deixar na rua para os animais que por lá passam… a quem anda com um saco de ração e um garrafão de água no carro não vá o diabo tecer … um brinde a quem sorri só porque sim… a quem faz rir mesmo com vontade de chorar… a quem fica sentado em silêncio ao lado de quem precisa apenas para que a solidão não seja demasiado pesada.

Um brinde a quem ainda sabe dar sem pensar em receber… um brinde a quem pisca o olho a um cão com quem se cruza na rua só para o ver piscar de volta… um brinde a quem não tem medo de sujar as mãos… um brinde a quem mima sem recear trazer pulgas para casa… e principalmente um brinde a quem o faz sem gravar, fotografar ou se auto vitimizar e auto intitular de herói de rede social.

Vocês fazem com que mantenha a minha fé nesta raça mesquinha que é o ser humano!
Obrigada!

Namasté _()_

 

Lido com isto várias vezes no meu dia

post-mascaras1

Não percebo porquê que com essa idade ainda não sentiste a urgência de seres mãe e de teres vontade de deixar uma descendência tua para quando partires

Isto dito com a maior das máscaras colocadas que existe no mundo de hoje… a máscara da felicidade…

10 minutos depois a mesma pessoa tem esta conversa telefónica em tom arrogante, mal amado e prepotente:

Sou tua mãe e agradeço que não me dês mais trabalho do que aquele que me dás todos os dias, o teu pai vêm buscar te depois do jantar e tu sabes que eu hoje dava um jantar em casa, por isso lá terás de ir connosco e ficares a espera dele.

Bufa e desliga… levantei-me e disse-lhe

Prefiro mil vezes não deixar descendência minha no mundo do que a fazer conviver comigo e com a minha pouca vontade de a ter a meu lado, como tão bem o acabaste de fazer agora!

Não respondeu… nem poderia porque continuamos a viver num mundo de ilusões e de parecer bem… em pleno séc XXI… é triste! Muito triste!

Namasté _()_

Momentos que observo

11221879_1081338008556892_7624854132391959135_nHoje assisti a isto numa grande e conceituada loja de bricolage:

Pic…pic (isto é o artigo a ser passado na máquina sem um sorriso ou um bom dia da parte da funcionária) … factura quer? (Que eu saiba factura é sempre entregue ao cliente agora pode é ir com ou sem contribuinte) … Não? Então são X,49€… Moedas?
Aqui está.
pic…pic….

Dei por mim a sorrir, a suspirar e a dizer ao meu pai… olha espero por ti lá fora. Isto tudo ainda tenho a salientar que a moça estava a aprender e quem a supostamente estava a ensinar estava tipo estátua de sal de mãos unidas a olhar para aquilo como um burro olha para um palácio.

Eu sei que ninguém nasce ensinado e que tudo se aprende e blá blá mas existe algo que se tem de aprender de berço e a isso chamasse educação, palavras como bom dia/se faz favor e obrigada não se aprendem num curso profissional nem em formações de 5 minutos enquanto se adquire conhecimento de como se mexe numa caixa registadora.

Sim é um facto que existe atendimento ao balcão e atendimento ao balcão mas a sensação que tenho é que hoje em dia se encara este tipo de trabalho como uma transição ou um serviço reles de quem não consegue fazer ou arranjar mais nada.

Saber estar e saber falar mas principalmente saber ouvir é uma arte que poucos sabem, muitos menos aprendem e menos ainda estão predispostos a adquirir, o mau hábito do tempo das vacas gordas que um lojista não vendia, registava acabou… não existe mais e se naquele tempo quem fazia este trabalho tinha uma formação rigorosa e era fácil mas tão fácil vender acham mesmo que agora que para se vender algo é preciso fazer dois mortais a retaguarda com um salto encarpado para a frente o conseguem? Com maus modos, más caras e uma educação inexistente?

Entramos numa loja onde nem a merda nos mandam, não nos sabem aconselhar, atendimento personalizado para eles nem existe e se juntarem a isso as moças ainda se fazem ao teu namorado só porque sim… se não fosse tão mau seria cómico… estórias que se ouvem, tristezas que se partilham, apoio que se dá… tudo isto onde se cria uma amizade, onde se vê crescer os clientes como pessoas e se começa a atender ainda nem avô é e quando se pisca os olhos se está a atender a neta… se isto não é um trabalho do mais nobre que existe eu não sei o que será!

Por isso aprendam a dar valor ao que têm e aprimorem… seja a atender ao balcão, a fazer contas, a operar alguém ou até mesmo a lavar escadas… no final não crescemos só como ser humanos mas ajudamos a crescer quem connosco se cruza.

Namasté _()_

 

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.