Minutos roubados ao tempo

“O tempo é um carrasco de momentos… ultimamente o meu tempo tem tido a capacidade de avançar a uma velocidade tal que me deixa sem fôlego e sem capacidade de reacção!
O facto de não te ver piora o meu estado de ebulição… céus ando irritada e com falta de paciência para as coisas simples… aquelas que até me davam um pouco de prazer!
Cada dia que passa a vontade de te sentir e de te agarrar desperta em mim uma vontade tal que me deixa a pele sensível ao tacto… se penso em ti então acredito que numa consulta de cardiologia seria internada por taquicardia!
Dou por mim a pensar… em intervalos cada vez mais curtos quando a mente toma vontade própria e viaja para longe do meu controlo:
Ø  Acalma-te e respira! O bom do que tens é que os momentos tornam-se únicos e intensos!
Pois! Está certo e quero enganar quem? Sinto saudades e falta da tua boca! Ponto final paragrafo! E nem a minha sobre-humana capacidade de controlo consegue fazer-me ter poder sobre evitar isso!
Bem o melhor é evitar estes pensamentos e levantar o traseiro da cama… novo dia! Por isso respirar fundo… estender os músculos e fazer-me a vida!
Olho para o ecrã do telemóvel por vicio… não costumo ter mensagens tuas pela manha… mas já me habituei a confirmar isso quando me levanto!
Dou por mim a ler o teu nome no visor enquanto levanto a sobrancelha direita…
Ø  Mau a esta hora? Terá acontecido alguma coisa?
(O bom do que temos é que sabemos ser mais que loucos de desejo um pelo outro… somos amigos e cúmplices no que é o nosso dia-a-dia… raro certo? Não questiono… não o fiz no inicio não o faço agora)
Abro a mensagem e leio:
Ø  Não aguento mais a vontade que tenho de me perder em ti. Dê por onde der …quero roubar-te um beijo hoje! A que horas sais do ginásio?
Respondo:
Ø  Saio as nove… por norma! Sabes onde fica? Passas lá?
A resposta não tarda:
Ø  Sei! Estou lá a essa hora! Quero sentir-te abraçada a mim hoje! Dê por onde der!
Dei por mim a sorrir… e a pensar que a vontade intensa de te ter não era exclusiva minha… a sensação e o conhecimento disso deixou-me com ânimo para mais um dia de trabalho que tinha pela frente!
No fim da manhã dei por mim a dar valor ao relógio… de facto o tempo não é igual em cada momento que temos! Maldito bicho castrador… corres quando não quero e marcas passo quando não deves!
De cada vez que parava e olhava para ele parecia que me gozava descaradamente e me dizia:
-Dá valor a paciência… tudo o que é desejado tem mais sabor quando é esperado!
A sorte é que por mais gozador que possa ser passa inevitavelmente pelo que dei por mim a desligar o PC no fim do dia de trabalho e a sair em direcção ao ginásio… Precisava mesmo de uma hora de treino intenso e duro… de exaustão muscular… de equilíbrio entre dores… suor e desgaste!
Sai terminada a aula directa ao vestiário… a vontade de te ver não tinha diminuído no meio duro e turbulento da aula… pelo contrário… o desejo de te sentir entregue a mim aumentou de uma forma tal como se de fome pura e dura se tratasse!
Abri o cacifo e vi uma mensagem tua:
Ø  Ainda não consegui sair daqui… as coisas complicaram-se e estou atrasado!
A sensação de frio que senti foi intensa e impiedosa:
Ø  Então não nos vemos hoje?
Respondes:
Ø  A vontade que tenho de te abraçar é demasiado grande! Quero muito ver-te! Escolhe um sítio mais perto de tua casa… mas fácil e menos complicado de chegar rápido! Espera por mim hoje!
Sorri enquanto deslizava os dedos pelas teclas em resposta:
Ø  Espero… já disse que o fazia esqueceste-te? Vem ter ao super perto das nossas casas… Espero lá por ti!
Fui directa ao chuveiro… o toque morno da água… a subtil carícia da espuma por entre o dorido dos músculos deixou-me entorpecida… exausta do treino… desejosa do teu toque!
Parei no parque passavam 5 minutos das nove… a noite escura… a brisa quente e suave… cheirava a chuva de primavera! Desliguei o carro e observei o espaço…
Vazio… como se por instantes o mundo nos tivesse dado um intervalo e carregado num botão qualquer OFF nas malhas do destino!
Ouvi-te chegar antes de te ver… olhos brilhantes por entre o capacete… Cruzaste o olhar com o meu quando saia do carro… não me deixaste falar… a intensidade com que colaste a tua boca a minha transmitiu que as saudades que eu tinha passado… o desejo do teu sabor o sentias em igual intensidade!
Ouvi-me dizer:
Ø  Estás frio! – Enquanto abrias o casaco de cabedal que tanto gosto e me apertavas mais de encontro a ti…
Passei as mãos pelas tuas costas… senti cada músculo teu acompanhar o meu movimento como se reconhecesse o calor do meu toque… senti o pulsar do teu coração a aumentar…
Respondeste nessa tua voz rouca que tanto gosto de ouvir:
Ø  E molhado também… apanhei uma molha na A5…
A intensidade com que me olhaste deixou-me sem conseguir raciocinar por instantes… envolveste-me nos braços enquanto juntavas a boca a minha murmuraste:
Ø  Ainda vais ser a minha perdição….
Não me permitiste argumentar… mesmo que quisesse o teu calor… o teu sabor… o teu toque retiraram-me qualquer capacidade de raciocínio…
A intensidade do momento isolou-o com a força que já sabia existir entre nós mas de uma forma mais magica… mais intensa!
A resposta do meu corpo ao teu é perfeito… único! Tão nosso que nos permite ter quando nos encontramos momentos só nossos como se de um universo paralelo se trata-se!
A fome de ti é demasiado irreal para ser satisfeita em momentos únicos… mas aquilo que temos que damos inconscientemente um ao outro faz com que por instantes consiga carregar as baterias para mais dias de luta e de rotina!
Sentimos os dois quando o tempo reclamou para si o instante do momento e o retorno á realidade… fechei os olhos e pedi… só mais um bocadinho!
Envolveste-me no teu abraço enquanto me olhavas nos olhos e me acariciavas o pescoço… senti a suavidade dos teus lábios no lóbulo da minha orelha e enquanto era percorrida por arrepios longos e dolorosamente incontroláveis disseste:
Ø  Obrigado por teres esperado por mim! Consegues trazer-me tranquilidade mesmo no mais stressante dos meus dias!
Sorri… beijei-te… e disse:
Ø  Bom regresso a casa cavalheiro… vê se descansas!
Suspiraste e sorriste com esse teu ar de duro que aprendi a conhecer e respondeste:
Ø  Aparece nos meus sonhos menina tentação!
Dirigi-me ao carro enquanto abanava a cabeça e pensava para mim:
– É o tempo até pode ser simpático, algumas vezes… quando permite que se roube minutos a roda impiedosa da vida!
 E sorrindo de mim para mim voltei à realidade!”
BTW as personagens continuam a ser parte da minha imaginação… aliás intensidades momentâneas como estas raramente acontecem certo?
A não ser…. J
Advertisements

Posted on May 20, 2011, in Loucuras. Bookmark the permalink. 14 Comments.

  1. Fantástico!! São mesmo apenas da tua imaginação?

    Like

  2. Nokas,
    Podem ser ou não…
    Ou pode ser um texto para a imaginação de quem quiser…
    As partilhas são assim
    =)

    Like

  3. O tempo é uma entidade tramada.
    Já o expressei com um pensamento do Einstein no meu espaço.
    Mas voltando ao que interessa.
    Este relato é imaginação?
    – Na forma será sim no conteudo não.
    A autora já se sentiu assim e já o concretizou?
    – Sem duvida nenhuma que já mas com contornos diferentes pois ela não se expõe na sua totalidade.
    Os sentimentos expressos são reais?
    – São sim sem duvida nenhuma mas não estão situados no tempo actual.
    A situação descrita ficou apenas pelo beijo e pelo abraço?
    – Definitivamente que não, pela intensidade dos sentimentos descritos e pelo meu conhecimento tenho a certeza absoluta que não, mas mais não é descrito porque a autora não quer aquele aviso que certos blogues teem à entrada…
    Personagens fruto da imaginação?
    – A forma como as personagens aparecem são fruto da imaginação tal como a mota o poderá ser tambem. Mas as personagens existem e estão bem vivas da costa.
    Resumindo…
    Com a verdade pincelada com umas pinceladas de imaginação se escreve um texto maravilhoso, quase tão maravilhoso e intenso como quem o escreveu…
    Beijo-te

    Like

  4. Mega,
    A beleza que se esconde num texto imaginado… ou apenas partilhado com relatos mais ou menos reais é que deixa de ser nosso e pode ser usado pela imaginação de quem o lê!
    A intensidade com que se vive… com que percorremos o dia-a-dia passa queiramos ou não para aquilo que compomos… que construímos!
    Se sou intensa ou não cabe a mim saber mas não dizer… mas os anos que passamos juntos pelas partilhas que demos um ao outro dá-te uma segurança de o saberes melhor que a muita gente!
    Quanto as perguntas não comento nem respondo… a beleza da imaginação é mesmo essa… ficar a pairar na incerteza da beleza do desejo
    =)
    Beijinho

    Like

  5. Muito bom, mesmo! O tempo tanto pode ser um aliado como um “agente tramado”. O melhor, mesmo, é irmos subindo um degrau de cada vez e olhar a paisagem em volta 🙂
    Beijinhos,
    Sofia

    Like

  6. Gostei do momento do parque vazio e do botão off mas no fundo somos nós que estamos tão ocncentradas em ver aquele carro que tudo fica transparente…
    (já conheces o meu canto novo? http://escritademim.blogspot.com/

    Like

  7. Sofia,
    O tempo raramente joga a nosso favor quando desfrutamos de algo que gostamos… desejamos sempre mais.
    Beijinhos

    Like

  8. Pink,
    Nos momentos que se tornam raros temos sempre a capacidade de ver o ambiente como gostamos que esteja.
    Não conheço mas vou já lá dar um saltinho.

    Like

  9. se são da imaginação então ainda está mais fantástico!
    **

    Like

  10. 100 Pretensões,
    O que fazemos com a imaginação pode ser fascinante =)
    Obrigada

    Like

  11. Olá Utena
    ando eu numa corrida contra o tempo e eis que na hora da minha sobremesa visito o teu blogue por intermédio do da Teresa…
    Recomenda-se, diga-se…como sobremesa também! lolol
    O teu texto está muito bem contado e enleva-nos… esses momentos, se não os tivemos, gostariamos de os ter…essa adrenalina amorosa é algo que nos faz viver e como dizes e muito bem…arranca-nos da rotina que nos atrofia e torna-nos numa amálgama de músculos e ossos “pensantes” (na melhor das hipóteses!).
    Na verdade, tudo pode ser imaginário ou não… que importa se em parte vivemos o fruto dessa imaginação????!!! salvaguardo só o facto de não nos tornarmos obsessivos por esses “sonhos”, pelo risco de vivermos outra realidade que não a nossa!!!
    Virei cá mais vezes, se me permites.
    Abraço

    Like

  12. CF,
    Bem vinda… e a permissão está dada claro as minhas portas estão sempre abertas…
    Viver de sonhos é bom mas como em tudo deve ter conta, peso e medida…
    E activar a imaginação só faz bem, reforça o sistema imunitário da rotina… do stress e do desanimo.
    Abraço… volta sempre e quando quiseres

    Like

  13. Um belo texto! Vou voltar.
    Bjo

    Like

  14. Álvaro,
    As minhas “portas” estão sempre abertas.
    Volta sempre que desejares.
    Obrigada
    Bjo

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s

loudness

magazine

Pseudo

Para o que der e vier!

O estranho mundo de Dom

...um mundo igual a tantos outros ... ou não !

Divas em Apuros

Um espaço de convívio para verdadeiras Divas.

%d bloggers like this: